Resenha: The Walking Dead – Vol. 1 – Kirkman, Moore e Rathburn

Primeiramente, eu preciso fazer um aviso: THE WALKING DEAD NÃO É SOBRE ZUMBIS.

Ok, agora podemos continuar.

Resenha: The Walking Dead - Edição #1 - Kirkman, Moore e Rathburn

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Não é à toa que TWD tem tantos fãs: o roteiro criado por Robert Kirkman é um dos melhores que já li! Ele realmente sabe como prender o leitor! Não cheguei a ler, mas vi um livro chamado The Walking Dead e a Filosofia a venda e, para mim, esse título define bastante sobre o que realmente é a série: escolhas pessoais. O TEMPO TODO.

Imagine você, recém-acordado de um coma, em um mundo repleto de criaturas estranhas. O que VOCÊ faria?

De uma coisa, tenho certeza: seria praticamente impossível manter seu senso de justiça 100% intacto. Rick Grimes – o protagonista – até tenta, mas muitas vezes ele vacila ou faz escolhas erradas. Mas não é exatamente isso o que nos faz tão humanos?

We Are The Walking Dead

Rick (todo cagado) em um dos meus momentos favoritos da HQ. Que discurso é esse, meu Deus? FOTO: Reprodução

Enquanto isso, sim, eu disse ENQUANTO ISSO, ele tenta sobreviver nesse ambiente hostil matando alguns “walkers” aqui e acolá.

Basicamente existe uma grande diferença entre a HQ e o seriado da AMC: os quadrinhos conseguem ser ainda mais criativos, sujos e viscerais. Isso mesmo: se você é fã de MUITA AÇÃO e, ao mesmo tempo, MUITO DRAMA, vai curtir demais a HQ de The Walking Dead.

LEIA TAMBÉM

Sem contar outra diferença beeem importante: um dos personagens mais amados do seriado – Daryl Dixon – simplesmente não existe na HQ.

Resenha: The Walking Dead - Edição #1 - Kirkman, Moore e Rathburn

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Os quadrinhos conseguem ter um arco ainda mais abrangente que o da série de tevê e, como disse, ser ainda mais “fortes”. Infelizmente não poderei citar nenhuma cena mas, acredite: as histórias acabam ficando diferentes e, quem é fã, tem a oportunidade de (muitas vezes) ver duas versões para o mesmo fato. Ex: o “couro” homérico de Michonne (uma das minhas personagens favoritas dos quadrinhos)  no Governador, que na HQ é TENEBROSÍSSIMO! Hahaha!

Destaque também para o ótimo trabalho de Tony Moore e Cliff Rathburn, desenhistas, coloristas e arte-finalistas da história em quadrinhos! Apesar de, para mim, não ser um “traço” marcante ou superartístico, o trabalho deles é minucioso e extremamente detalhista.

Ilustração de Tony Moore

FOTO: Reprodução / Tumblr

Resumindo, vale muito conhecer o universo apocalíptico de série, ainda mais sombrio e profundo!

Resenha: The Walking Dead - Edição #1 - Kirkman, Moore e RathburnTítulo original: The Walking Dead
Autores: Robert Kirkman, Tony Moore e Cliff Rathburn
Editora: HQM Editora
Número de páginas: 32
Ano: 2012
Gênero: HQ
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço – Marcio Marinho Nogueira

A viagem de Mequinho ao fundo do poço é um livro infanto-juvenil que busca alertar os jovens e adolescentes sobre os perigos das drogas. O livro é completo de ilustrações e apresenta um texto bem didático, contando a história do pequeno Mequinho que, ao passar dos anos, começa a se envolver com drogas e não aceita ajuda de ninguém ao seu redor.

Na primeira metade do livro, passamos pela infância de Mequinho e depois conferimos sua passagem pela vida adulta, até começar a beber demais para se livrar dos seus problemas. Claro que os problemas só aumentam, assim como o número de vezes em que ele bebe por dia. Com um estilo lúdico, o autor Marcio Marinho Nogueira faz um bom trabalho em ensinar jovens e crianças sem cair para o moralismo excessivo.

Resenha: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço - Marcio Marinho Nogueira

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

No entanto, algo me incomodou um pouco ao final do livro. A linguagem lúdica de repente torna-se totalmente séria e parecida com uma obra escrita para médicos, educadores e profissionais da área. Ele começa com uma proposta infantil e termina como uma apostila. Se o livro é destinado a jovens, ele se perde nessa parte: porque ensinando com termos complicados e como se fosse uma aula de ciência, a criança já perde um pouco o interesse.

O autor Marcio Nogueira é escritor e médico, portanto sua visão como profissional da saúde é bem clara na obra. Talvez se o final do livro fosse um pouco menos sério e mais “palpável”, A Viagem de Mequinho poderia se tornar uma referência de livro um pouco mais divertido para crianças e pré-adolescentes.

Leia também

 * Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

Resenha: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço - Marcio Marinho NogueiraTítulo original: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço
Autor: Marcio Marinho Nogueira
Editora: Criativa Leitura
Número de páginas: 120
Ano: 2016
Gênero: Infanto Juvenil
NotaEstrelaEstrelaEstrelaestrela vaziaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: Zootopia – Disney

Resenha: Zootopia - Disney

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

O filme Zootopia estreou em 2016 e conta a história da coelha Judy Hopps, que sonha em se tornar policial na cidade que dá nome ao longa. Como assisti ao filme – e fiquei encantada – assim que soube do lançamento da HQ com capa dura, corri para garantir o meu exemplar.

A história da HQ é exatamente a MESMA do filme, então, para quem assistiu, não tem nenhuma surpresa. Os diálogos são os mesmos: superfáceis e ideais para os pais que lerão para as crianças.

Resenha: Zootopia - Disney

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Zootopia é ideal para ensinar aos pequenos lições como empenho, sonhos e amizade. Tudo de uma forma muito fofa e com desenhos  superbonitinhos! As crianças vão AMAR!

No início, a HQ introduz um pouco cada um dos personagens principais.

LEIA TAMBÉM

Resenha: Zootopia - Disney

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

 A edição é bem legal: conta com verniz nos personagens da capa (Judy  Hopps e Nick Wild), ilustrações de silhuetas nas contracapas (acima), papel de qualidade no miolo

Enfim, para quem – como eu – curte colecionar HQs, esse também é um bom item para ter na coleção!

Resenha: Zootopia - Disney

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Resenha: Zootopia - DisneyTítulo original: Zootopia
Autor: Disney
Editora: Media Pixel
Número de páginas: 56
Ano: 2016
Gênero: Infantil
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: O Filho de Mil Homens – Valter Hugo Mãe

Li O Filho de Mil Homens por indicação de um amigo e tive a melhor surpresa possível! O autor português Valter Hugo Mãe utiliza a língua portuguesa com tanta maestria que suas palavras permanecem mesmo após o fim da leitura. É incrível!

Resenha: O Filho de Mil Homens - Valter Hugo Mãe

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

José Saramago, em 2007, comparou a experiência de ler este livro a “assistir a um novo parto da língua portuguesa“. Exato: é como uma nova língua, um português transformado, com uma sentença mais poética e sensível do que a outra. Um livro para agarrar e não soltar mais. A prosa fantástica de Valter Hug Mãe é leve e sutil, com personagens densos, bem-construídos e que nos fazem pensar (e sonhar) a cada segundo.

Durante o processo de leitura fiquei tão encantada, que parava pra ler diversas vezes o mesmo parágrafo. Coloquei muitos adesivos para me lembrar das lindas citações e colocá-las aqui no blog. Mas, antes de mais nada, vamos à sinopse:

Com vontade imensa de ser pai, o pescador Crisóstomo, um homem de quarenta anos, conhece o órfão Camilo, que um dia aparece em sua traineira. Ao redor dos dois, outros personagens testemunham a invenção e construção de uma família em vinte capítulos. Valter Hugo Mãe, ao falar de uma aldeia rural e dos sonhos anulados de quem vive nela, atravessa temas como solidão, preconceitos, vontades reprimidas, amor e compaixão.

As personagens são complexas e apaixonantes. Isaura, Crisóstomo, Camilo, Matilde, Mininha, são os moradores de um vilarejo sofrido – apenas pessoas comuns tentando o melhor de si para encontrar a felicidade.

Resenha: O Filho de Mil Homens - Valter Hugo Mãe

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Não conseguia parar de devorar as páginas, apenas para descobrir um final incrível – desfecho emocionante para uma história trágica de início. Não vou revelar detalhes, mas pense num livro que vai te transformar.  São diferentes temáticas em pouco mais de 200 páginas: machismo, preconceito, solidão, tristeza, família… Aliás, o novo conceito de família que esta obra aborda é perfeita para os dias de hoje.

Ser o que se pode é a felicidade. (p.77)

O Crisóstomo disse ao Camilo: todos nascemos filhos de mil pais e de mais mil mães, e a solidão é sobretudo a incapacidade de ver qualquer pessoa como nos pertencendo, para que nos pertença de verdade e se gere um cuidado mútuo. Como se os nossos mil pais e mais as nossas mil mães coincidissem em parte, como se fôssemos por aí irmãos, irmãos uns dos outros. (p.188)

Se você procura uma leitura enriquecedora, encontrou o livro certo! Sem contar que a edição da Globo Livros é incrível, tanto no acabamento, como na diagramação e no papel mais encorpado.

Para comprar o livro, é só acessar o link abaixo:

Não vejo a hora de ler os outros livros do Valter Hugo Mãe 🙂

Resenha: O Filho de Mil Homens - Valter Hugo Mãe

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

*Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

LEIA TAMBÉM

Resenha: O Filho de Mil Homens - Valter Hugo MãeTítulo original: O Filho de Mil Homens
Autor: Valter Hugo Mãe
Editora: Globo Livros
Número de páginas: 224
Ano: 2016
Gênero: Romance
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


2 Comentários
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: Felicidade e Outros Contos – Katherine Mansfield

Posso afirmar que nenhum livro de contos até hoje mexeu tanto comigo quanto Felicidade e Outros Contos, da Katherine Mansfield. Já tinha ouvido falar que ela era uma contista inigualável (a própria Virginia Woolf dizia isso), mas só lendo para conferir o quão incrível é.

Composto por 8 contos, Felicidade é o mais conhecido (Bliss, em inglês) e um dos mais fortes também. Mais forte no sentido de que, ao final, você fica um pouco em choque, um pouco desanimado e, talvez, desapontado. Mas não surpreendido. Hahaha, dá pra entender? A delicadeza com que Mansfield conduz a narrativa é incrível e, aos poucos, entramos na cabeça daqueles personagens e nos espelhamos neles.

Os outros contos são tão bons quanto: Psicologia, Um dia de Reginald Peacock, A pequena governanta, As filhas do falecido coronel (um dos mais elogiados), Marriage à La mode,  Um tanto infantil, mas muito natural e o último – e mais triste – O Canário.

Resenha: Felicidade e Outros Contos - Katherine Mansfield

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Cada conto é recheado de sutileza, detalhes importantes – mas nem um pouco cansativos – e a leitura flui muito bem! Os temas são recorrentes do cotidiano, e diversas vezes tornam-se atemporais, como no caso de O Canário. A ironia da autora pode ser percebida nas entrelinhas, lembrando bastante o estilo de autoras brasileiras como Clarice Lispector e até um pouco de Lygia Fagundes Telles.

Não vou descrever com detalhes cada conto porque acho que estraga a experiência. Só saiba que você pode encontrar aquele “misto de sensações”: em uma página você está sorrindo, enquanto na outra sua vida pode desmoronar (haha, adoro ser dramática). Enquanto lia os contos, eu só sentia que algo bom não sairia dali, mas ainda assim, queria continuar lendo sem parar. Eu sei que parece tudo meio vago: mas não consigo descrever a experiência de ler esse livro de apenas 140 páginas.

Resenha: Felicidade e Outros Contos - Katherine Mansfield

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Vários livros que já li que falam sobre literatura, como o Para Ler Como um Escritor e o Como Funciona a Ficção, por exemplo, citam contos de Mansfield como referência e só fazem elogios à autora. Então, pode ter certeza que vale a pena! Faça como eu e apaixone-se pela escrita dessa escritora fenomenal.

Ficou interessado(a) em comprar o livro? É só clicar no link abaixo! 🙂

LEIA TAMBÉM

Resenha: Felicidade e Outros Contos - Katherine MansfieldTítulo original: Bliss & Other Stories
Autora: Katherine Mansfield
Editora: Revan
Número de páginas: 140
Ano: 1991
Gênero: Contos
NotaEstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Página 10 de 28« Primeira...89101112...20...Última »