Resenha: Sobre a Escrita – A Arte em Memórias – Stephen King

Gostei tanto desse livro que eu não queria que ele acabasse! Fazia tanto tempo que eu não lia um livro assim, num estouro, morrendo de vontade de chegar em casa e continuar… E o mais engraçado é que não é um livro de ficção (meu gênero favorito), mas uma minibiografia do autor Stephen King, que deu dicas valiosas para quem quer ser escritor.

Resenha: Sobre a Escrita - A Arte em Memórias - Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Eu sempre sonhei em ser escritora (quem sabe um dia), mas nunca tive o ímpeto de colocar as personagens no papel. Esse livro me fez ter vontade de começar: ele fornece dicas preciosas para quem sonha em escrever melhor e criar histórias consistentes.

O livro é dividido em partes: na primeira, conhecemos um pouco da vida do Stephen King e tudo o que ele passou até conseguir se tornar um autor famoso. Conhecemos a infância, a adolescência, os problemas financeiros, as amizades, os estudos, amores, enfim, um resumão da vida do autor. Eu achei bom porque ele conta até as partes difíceis de sua vida: a luta contra o alcoolismo e a cocaína, os problemas que teve a partir disso e as dificuldades de conseguir sobreviver trabalhando em uma lavanderia com uma família para sustentar.

A boa escrita costuma vir ao deixarmos o medo e a afetação de lado. A própria afetação, que começa com a necessidade de definir certos tipos de escrita como “bons” e outros como “ruins”, é um reflexo do medo.

Depois de conhecer a vida de Stephen, chega a segunda parte do livro: as dicas para escritores iniciantes. O que eu mais gostei é que ele separa por temas: fala sobre gramática, explica sobre construção de frases, cita autores famosos (bons e ruins) para exemplificar suas ideias… Depois fala sobre temática, gênero, ritmo, substância, o mercado editorial, o reconhecimento, como colocar suas ideias no papel, entre tantas outras informações. Eu fiquei encantada com o livro, nunca tinha lido algo parecido: um autor tão honesto e tão sincero com seus leitores.

Resenha: Sobre a Escrita - A Arte em Memórias - Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Stephen King deixa claro que ele não é um escritor clássico e nem se preocupa em ser um Dickens ou Poe. O que ele realmente gosta é de contar histórias e isso, não há como negar, ele sabe fazer muito bem. King rebate as críticas dos cult chatos que dizem que o que ele escreve não é bom. Porém, ele consegue mostrar que realmente sabe do assunto e nada mais gostoso do que ler alguém que está se abrindo com a maior honestidade possível.

+++ O TRABALHO DE ALGUNS AUTORES ANTES DE SEREM FAMOSOS!

O ritmo da leitura flui muito rápido e em poucas páginas conseguimos absorver bastante informação. É claro que algumas coisas não fazem parte da realidade brasileira: ele dá dicas gramaticais da língua inglesa, comenta o mercado editorial nos Estados Unidos da década de 90, entre outras coisas que não se encaixam no contexto atual. Mas ainda assim, é uma lição pra vida: e se você tem vontade de escrever um livro, esse é um ótimo começo.

Escreva com a porta fechada, reescreva com a porta aberta. Em outras palavras, você começa escrevendo algo só seu, mas depois o texto precisa ir para a rua. Assim que você descobre qual é a história e consegue contá-la direito – tanto quanto você for capaz -, ela passa a pertencer a quem quiser ler.

Gostei tanto da leitura que acabei comprando outros livros sobre a escrita, que vou comentar em breve aqui no blog. Para quem sonha em ser escritor, ou até mesmo deseja escrever uma história sólida, é uma obra imprescindível. Eu confesso que só li um livro do Stephen King até hoje (pois é), mas no momento estou no comecinho de O Iluminado. Virei fã! <3

Resenha: Sobre a Escrita - A Arte em Memórias - Stephen King

Título original: On Writing: A Memoir of the Craft
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 256
Ano: 2015
Gênero: Biografia/Não-ficção
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: Pó de Lua – Clarice Freire

Resenha: Pó de Lua - Clarice Freire

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Desde quando contatei a Clarice Freire ano passado para entrevistá-la durante a Bienal do Livro de São Paulo, fiquei supercuriosa com seu trabalho através do blog e da fanpage Pó de Lua, lançados em 2014 pela Intrínseca no formato impresso.

Finalmente, mês passado, tive a oportunidade de emprestá-lo e comecei a leitura.

Resenha: Pó de Lua - Clarice Freire

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

O livro cumpre sua proposta: diminuir a gravidade das coisas. Uma leitura leve e rápida, completa por lindas tipografias e ilustrações feitas pela autora.

Ao ler Pó de Lua, me senti fuçando no moleskine de uma amiga que manda muito bem nas poesias e nos desenhos.

“Levo comigo o que é meu por DIREITO ou porque me foi dado. Vou deixando nas ruas as MIGALHAS e o que já provei que é errado”  p. 62 e 63.

As poesias são inspiradas nas quatro fases da lua – cheia, minguante, nova e crescente. No livro, Clarice aborda temas universais – saudade, medo, perda, solidão, paixão, alegria – de uma forma muito sutil.

Resenha: Pó de Lua - Clarice Freire

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Resenha: Pó de Lua - Clarice Freire

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Capa, projeto gráfico e diagramação também têm seu destaque: o livro não seria o mesmo se não fosse pelo belíssimo trabalho artístico empregado na obra!

“Sou muito pequena para fazer GRANDES COISAS. Por isso quero ser GRANDE nas coisas pequenas” p. 74.

Dá para ler em algumas horas, durante um passeio no parque ou uma tarde de preguiça (como foi o meu caso).

Resenha: Pó de Lua - Clarice FreireTítulo original: Pó de Lua
Autor: Clarice Freire
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 192
Ano: 2014
Gênero: Poesia / Autoajuda
Nota: 1 estrela1 estrela1 estrela1 estrelaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: Para Sempre – Kim e Krickitt Carpenter

Como vocês devem saber, Para Sempre foi a minha primeira experiência com um audiolivro e  posso adiantar que foi algo completamente diferente.

+++ CONFIRA O REVIEW COMPLETO DA FERRAMENTA “UBOOK”

Eu já conhecia um pouco sobre a história do livro, mas ele me surpreendeu de uma maneira muito positiva! Confira a sinopse:

Para Sempre – A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a ‘Krickitt’ com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava.

Resenha: Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter

Kim e Krickitt Carpenter em seu casamento FOTO: Divulgação

Mas o que encontramos em Para Sempre vai muito além de uma história de amor: o livro aborda fé, superação, amizade, perseverança, desprendimento… De uma forma incrível!

 Kim e Krickitt se conheceram quando relações amorosas aconteciam de uma forma completamente diferente da atual (Whatsapp, Skype, Periscope, Snapchat, Tinder…): através de um telefonema (de Kim para o telemarketing onde Krickitt trabalhava como atendente), os dois passaram a conversar, se conhecer melhor e se apaixonar.

E engana-se quem pensa que os dois engataram um namoro rápido: alguns meses se passaram até que eles começassem a trocar cartas (e a enviar as primeiras fotos um para o outro). A primeira visita também demorou para ocorrer, já que os dois moravam a muitos quilômetros de distância.

O laço entre os dois foi ficando cada vez mais forte. Passaram a namorar e, em alguns meses, já planejavam o casamento. Com apenas dois meses de casados – e em seu primeiro feriado de Ação de Graças como um casal – a vida dos dois encontrou uma terrível tragédia: um acidente de trânsito em uma estrada, de proporções assustadoras.

A partir daí, a vida do casal muda completamente, e para sempre.

Resenha: Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter

O carro do casal após o acidente FOTO: Divulgação

Nos capítulos narrados por Kim sobre o estado de saúde de sua mulher, cheguei a ter arrepios. Porém, foi nesse momento que esperança, fé e força fizeram a diferença! Contrariando todos os médicos, Krickitt começa a melhorar (se é que podemos chamar de “melhora”).

Os meses seguintes são de muito trabalho e dedicação da equipe médica, da paciente, dos familiares, e claro, do marido recém-casado.

Na época, Kim Carpenter foi inundado por inúmeras dúvidas e medos que jamais pensou que teria: Krickitt iria se recuperar? Conseguiria voltar a realizar tarefas básicas? Se lembraria dele e da vida a dois que estavam construindo? Teriam dinheiro para pagar as despesas médicas (que já chegavam a mais de US$ 200.000,000)?

As respostas, é claro, não chegaram rapidamente.

Resenha: Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter

Kim e Krickitt Carpenter FOTO: Divulgação

Durante a leitura, fiquei sufocada ao pensar no desespero da mulher, quando diziam, por exemplo, que aquele era seu marido, enquanto ela simplesmente não conseguia se lembrar de nenhum dos momentos que haviam compartilhado juntos. Pessoas forçando a convivência, enquanto Krickitt nem ao menos conseguia entender que havia sofrido um acidente gravíssimo… Tudo isso me deixou muito triste e pensativa.

Ao mesmo tempo que, ver o amor e a devoção de Kim (que poderia simplesmente ter pedido o divórcio para se livrar de problemas e dívidas), foi algo que encheu meu coração de esperança. É claro que, muitas vezes, ele não soube o que fazer, dizer, ou como cuidar da mulher naquela situação, mas o simples fato de tentar, fez toda a diferença.

Resenha: Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter

Kim e Krickitt Carpenter com os filhos FOTO: Divulgação

Quantas vezes, por motivos bobos, as pessoas não acabam desistindo de seus relacionamentos? Ou ainda, quantas vezes, não acabam dizendo um “eu te amo” vazio, monótono e robótico?

Além de mostrar o apoio de amigos, familiares e até mesmo da fé, o livro aborda uma questão importante para quando algo não vai bem: a terapia! No Brasil, pelo menos, ainda existe essa visão deturpada sobre buscar ajuda profissional: muitos veem como vergonha, algo para ser escondido. Em Para Sempre, a ajuda de psicólogos e terapeutas é extremamente importante – e em muitos momentos, crucial – para o relacionamento do casal.

Kim foi, aos poucos, reconquistando a mulher com quem havia casado. Ótimo para fazer refletir, principalmente ao olharmos para relacionamentos atuais.

Resenha: Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter

Kim e Krickitt Carpenter ao lado dos filhos e de seus intérpretes no cinema: Channing Tatum e Rachel McAdams FOTO: Getty Images

______

Ao ler o livro, muitas pessoas reclamaram que ele não era fluido, que tinha muitos erros de digitação, entre outros problemas. Mas como eu ouvi o audiolivro de Para Sempre, não senti qualquer dificuldade. Aliás, foi uma experiência diferente e interessante!

Resenha: Para Sempre - Kim e Krickitt CarpenterTítulo original: The Vow
Autor: Kim e Krickitt Carpenter
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 144
Ano: 2012
Gênero: Autobiografia
Nota: 1 estrela1 estrela1 estrela1 estrelaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: Por Onde Andam as Pessoas Interessantes? – Daniel Bovolento

Será que as pessoas interessantes sumiram ou nós que nos tornamos desinteressantes com o tempo? Em época de Tinder, Facebook, Whatsapp, Snapchat, Twitter e outras zilhões de redes sociais, será que sobra tempo para olhar o mundo offline e conhecer pessoas com um papo interessante e conhecimento legal pra compartilhar?

Em seu livro de crônicas, Daniel Bovolento faz praticamente um desabafo entre as páginas. Com um texto leve e descontraído, o autor do blog Entre Todas as Coisas tenta expor seus amores imaginários, platônicos, interessantes, desinteressantes e passageiros. O amor, a paixão, podem estar em todos os lugares: na tela do celular, no ponto de ônibus, na festa que você nem lembrava que tinha ido.

Resenha: Por Onde Andam as Pessoas Interessantes? - Daniel Bovolento

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

A leitura é bem rápida, as crônicas são leves: algumas são divertidas, outras mais tristes. Mas todas com o mesmo tema central: relacionamentos. Acredito que muitos vão se identificar com os textos do Daniel, que com a maior sinceridade possível, tenta descobrir por onde andam as pessoas interessantes ou se, na verdade, nós é que nos tornamos seletivos/cansados demais para procurar.

Vou ser bem sincera nesta resenha: eu não me identifiquei. Não sei porque, mas acredito que não estou nessa “vibe”. Eu namoro há quatro anos e meio, então acho que fiquei meio por fora do assunto. Aliás, não é nem por esse motivo: mesmo quando estava solteira, eu não me preocupava tanto com relacionamentos amorosos. Por mais que eu me apaixonasse ou sentisse algo a mais por alguém, eu dificilmente fazia disso o problema central da minha vida. Nunca tive um amor platônico (pois é!) e sempre fui bem tranquila em relação a esses assuntos. Por conta disso, o livro não me prendeu… Mas não quer dizer que não seja adequado para outras pessoas. Veja bem: o livro é bom! Só não é pra mim.

Resenha: Por Onde Andam as Pessoas Interessantes? - Daniel Bovolento

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Então se você busca uma leitura para se apaixonar, sonhar, imaginar e relembrar momentos da sua vida amorosa, esse é ideal. O estilo do Daniel é intenso, perfeito para aqueles que se perguntam onde anda aquela pessoa que pode fazer a diferença na sua vida, nem que seja apenas por um minuto.

Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

Resenha: Por Onde Andam as Pessoas Interessantes

Título original: Por Onde Andam as Pessoas Interessantes
Autor: Daniel Bovolento
Editora: Planeta de Livros
Número de páginas: 192
Ano: 2015
Gênero: Crônica
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaestrela vaziaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: Por um Toque de Ouro – Carolina Munhóz

Resenha: Por um Toque de Ouro - Carolina Munhóz

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

O que sempre me chamou a atenção na escrita de Carolina é a ousadia de suas obras. Ela tem uma pegada sexy natural – marca registrada em seus lançamentos. A linguagem é bem simples e fluida, o que facilita muito a leitura, e não chega a ser repetitiva.

Em O Reino das Vozes que não se Calam, escrito em parceria com a atriz e cantora Sophia Abrahão, Carol apostou em temáticas pesadas como bullying e depressão. Já a trama de Por um Toque de Ouro conta com uma tentativa de estupro. As cenas e descrições, é claro, são mais leves (por causa da categoria Infanto-Juvenil dos livros), mas isso não faz com que os assuntos não sejam abordados (o que é muito importante, principalmente para leitores jovens e em formação).

A trama é envolvente e, como os outros livros de Carolina, fantástica. Em Por um Toque de Ouro, é a vez de abordar  a cultura irlandesa e o famoso leprechaun, figura mitológica do folclore da Irlanda (também conhecido como duende ou gnomo). Ele, inclusive, dá nome a série de livros (trilogia) com a protagonista Emily O’Connell: Trindade Leprechaun.

Resenha: Por um Toque de Ouro - Carolina Munhóz

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

O livro é o segundo lançamento da autora pelo selo Fantástica ROCCO, e o trabalho de edição está cada vez melhor.  A capa é um ponto super a favor: com uma foto chamativa e escrita em relevo dourada, com certeza o livro se destaca nas prateleiras.

A história é basicamente a seguinte: os pais de Emily construíram um império de “alta costura”, a O’C. A garota sempre teve tudo, do bom e do melhor, e atribuía isso a tremenda “sorte” dos pais (e que, com certeza, havia herdado). Emily nunca havia se questionado sobre todas as vezes em que a sorte esteve a seu favor, afinal, isso era algo supercomum para ela. Festas, fotógrafos, roupas caras e muita bebida. De longe podem parecer atrativos, mas a vida da herdeira da O’C, aos poucos, torna-se vazia.

Após conhecer e se apaixonar por Aaron Locky, tudo o que Emily conhecia e tinha como verdade é posto à prova.

Resenha: Por um Toque de Ouro - Carolina Munhóz

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

O roteiro até chama a atenção, mas a história, infelizmente, é arrastada. As coisas acontecem devagar e um pouco sem sentido, principalmente se tratando da relação de Emily e Aaron. Porém, a confusão do livro retrata a confusão (mental e sentimental) da protagonista, que nunca havia sido “chacoalhada” ou confrontada em sua vida.

Senti que o livro foi, realmente, bastante introdutório ao universo que Carolina Munhóz criou. Por um Toque de Ouro faz parte de uma trilogia, como dito anteriormente, portanto, acredito que para os próximos volumes a história possa se tornar mais densa e interessante (e torço por isso!).

Clique aqui e leia o primeiro capítulo do livro

Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

Resenha -  Por um Toque de Ouro - Carolina MunhózTítulo original: Por um Toque de Ouro
Autor: Carolina Munhóz
Editora: Fantástica ROCCO
Número de páginas: 278
Ano: 2015
Gênero: Infanto-Juvenil
Nota: 1 estrela1 estrela1 estrelaestrela vaziaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Página 20 de 26« Primeira...10...1819202122...Última »