Resenha: Mentirosos – Emily Lockhart

De forma despretensiosa comecei a ler “We Were Liars”, da autora Emily Lockhart. Não sou muito fã de Young Adult, mas depois de ler tantas resenhas de pessoas falando que o livro era surpreendente, chamava a atenção e prendia completamente o leitor na história, fiquei curiosa e comprei o ebook em inglês. Aproveitando que estou tentando ler mais em inglês para treinar, foi uma boa pedida, já que a linguagem é bem simples e tranquila de acompanhar.

O livro conta a história de Cadence Sinclair, garota de 17 anos que perdeu a memória após um acidente. Aos poucos, Cadence tenta se lembrar do que aconteceu e começa a montar as peças do quebra-cabeça, transformando uma simples história em reviravoltas bem interessantes.

Em suma, Cadence passa todos os verões ao lado de sua prima Mirren, de seu primo Johnny e de Gat, sobrinho do namorado de sua tia Carrie. Eles passam as férias de verão todos os anos em Beechwood, uma ilha privativa com enormes casas construídas por Harris Sinclair, avô de Cadence. De início parece complicado entender a árvore genealógica da família, mas o próprio livro oferece um mapa de Beechwood e a linhagem completa da família Sinclair, com o nome das tias, avó, avô, etc.

Resenha: Mentirosos

Foto: Alex Sanches/Resenhas à La Carte

A narradora do livro é a própria Cady e junto com ela tentamos desvendar o mistério do acidente que ocorreu quando ela tinha 15 anos na ilha de Beechwood. Só conhecemos o ponto de vista da garota e sabemos que Cadence foi encontrada no mar, usando apenas uma camisola e provavelmente bateu a cabeça em alguma pedra, já que não se lembra de nada do que aconteceu.

Após o incidente, Cadence sofreu graves sequelas. Suas enxaquecas intensas impedem que ela se levante da cama e a garota necessita de muitos remédios para conseguir sobreviver às dores. Depois de um período conturbado, aos 17 anos ela retorna para a ilha e, aos poucos, começa a lembrar do ocorrido por meio de flashes.

É interessante como o livro mostra o ponto de vista ingênuo e infantil da protagonista, que não percebe a malícia de seu avô, um homem conservador e grosseiro que pouco se importa com as filhas e netos. O velho Harris se preocupa mesmo é com sua herança e seus preciosos imóveis, além da conservadora tradição familiar. Mas, ao conviver com Johnny, Mirren e Gat, Cady começa a abrir os olhos e perceber a farsa que é a sua família.

Cady está confusa e ninguém parece querer ajudá-la. Os outros personagens agem de uma maneira estranha toda vez que Cadence pergunta sobre o passado e o acidente. Ninguém responde suas perguntas, todos começam a agir de forma suspeita e mudam de assunto rapidamente. É desesperador ver que sua família claramente esconde algo muito sério e ela não consegue lembrar de nada.

Cady é uma típica adolescente mimada nascida em berço de ouro. Sua família milionária transborda perfeição e vive de aparências. Na primeira parte do livro a protagonista descreve como os verões eram incríveis nas casas de Beechwood, fala sobre as refeições deliciosas que eram preparadas por empregados cujo nome ela desconhecia e relata o dia a dia com os primos que ela tanto amava.

E, claro, por se tratar de YA, Cadence é completamente apaixonada por Gat, sempre descrevendo os ombros largos do garoto, suas roupas rasgadas e seu jeito resplandecente. Os dois vivem uma paixão intensa, porém reprovada por toda a família, já que o garoto é de origem indiana e não possui as qualidades que os Sinclair exigem, como dinheiro e aparência caucasiana. Gat é muito inteligente, sabe enxergar o mundo fora daquela bolha em que os Sinclair vivem e tenta mostrar um pouco sua visão da realidade, mas é sempre ignorado por Mirren e Johnny, que acham suas conversas exageradas e enfadonhas.

Na verdade, os personagens Mirren e Johnny, que Cadence tanto ama, são superficiais e típicos jovens ricos inconsequentes. Não são carismáticos, pelo contrário. Acredito que a autora optou por diminuir os primos de Cady para deixar Gat mais encantador e apaixonante.

O livro é empolgante, fácil de ler e a estrutura narrativa é boa. O suspense criado pela autora é instigante e o final surpreende. Confesso que quando descobri a verdade sobre o acidente, quando a história finalmente fez sentido, dei uma choradinha. Engraçado que, ao descobrir o final, o restante do livro começa a fazer sentido e conseguimos perceber as pistas que Lockhart deixou durante toda a história. No fim das contas, era óbvio, mas é possível sim ser enganado.

“We Were Liars”, publicado pela editora Seguinte com o título de “Mentirosos”, vale a leitura, principalmente se você gosta de um suspense leve e sem violência.

Resenha: Mentirosos - Emily Lockhart

 

Título original: We Were Liars
Autor: Emily Lockhart
Editora: Seguinte
Número de páginas: 240
Ano: 2014
Gênero: Young Adult
Nota1 estrela1 estrela1 estrelaestrela vaziaestrela vazia


Escrito por:

Isabela Zamboni



Comentários via Facebook

Comentários


Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *