Resenha: O Iluminado – Stephen King

Parece até meio sem noção fazer uma resenha do Iluminado, né? Afinal, quem nunca viu o filme ou já leu esse clássico do Stephen King? E mesmo se a pessoa não tenha visto/lido, com certeza já ouviu falar ou sabe mais ou menos a história. Mas não importa! Quis fazer essa resenha porque esse foi meu primeiro contato verdadeiro com o autor (já tinha lido Os Olhos do Dragão e Sobre a Escrita, mas não é a mesma coisa) que todo mundo fala: o mestre do horror, do suspense, do thriller psicológico. E vou confessar que gostei muito! Mais do que eu esperava.

Resenha: O Iluminado - Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

O Iluminado não é somente uma história de horror – o que mais me “pegou”, na verdade, foi a tensão. Meu Deus, que livro TENSO! Eu quase roí todas as minhas unhas e sempre me pegava com o cenho franzido enquanto lia. O livro é bem grande, com mais de 400 páginas, mas não dá vontade de parar de ler. Só que o mais legal disso tudo é que o livro demooooora pra desenrolar. Pode parecer uma característica negativa, mas é isso que o torna tão interessante. Por conta dessa demora, os personagens são muito bem construídos e complexos; nossas expectativas aumentam em relação ao que pode acontecer em breve; o clima de suspense se constrói no ritmo certo; e somos envolvidos com tanto ardor na história que, mesmo depois que o capítulo acaba, ela continua na nossa cabeça.

A história é sobre o ex-alcoólatra e agora desempregado Jack Torrance, que aceita um emprego como zelador do afastado Hotel Overlook para conseguir sustentar sua esposa Wendy e seu filho Danny. Danny é uma criança especial, sensível e que consegue perceber coisas que outras pessoas não conseguem. Wendy é uma mãe preocupada e uma esposa atormentada por conta do alcoolismo do marido, que já trouxe problemas demais para a família. E Jack é um personagem único, pois ao mesmo tempo em que luta contra seu temperamento difícil, ainda se esforça para manter a união familiar. O problema é quando eles chegam ao Hotel Overlook para passar o inverno: todos os funcionários vão embora e os três ficam sozinhos no lugar, onde começam a acontecer eventos bizarros e perturbadores.

++RESENHA: O HOMEM INVISÍVEL, DE HG WELLS

++RESENHA: FRANKENSTEIN, DE MARY SHELLEY

Engraçado é que mesmo os personagens sendo um tanto odiosos (às vezes dá vontade de socar a cara deles), a empatia surge mesmo assim. Adoro quando o autor consegue fazer a gente entender o lado de pessoas atormentadas, que têm seu lado ruim, mas que também se esforçam para conseguir lidar com seus problemas. O Iluminado é, acima de tudo, um drama familiar, em um contexto de suspense muito interessante.

Eu sempre ouvi falar que o Stephen King detestou a adaptação do Kubrick para o cinema, o que me deixou meio incrédula. O filme do Kubrick é tão bom, tão intenso! Por que ele não gostou? Simples: porque o filme é COMPLETAMENTE DIFERENTE do livro. Claro que o contexto geral é o mesmo, algumas coisas similares acontecem, mas falando sério: parece que eu vi duas histórias parecidas, mas não uma adaptação. Acho que é melhor falar que o Kubrick dirigiu uma reinterpretação do livro. Obviamente que a linguagem cinematográfica é diferente da linguagem do livro, mas ainda assim, foram trabalhos bem divergentes. Portanto, os dois são bons, com algumas partes em comum, mas que podem ser apreciados de forma separada.

Enfim, terminei a leitura desse livro e já virei fangirl do Stephen King. Ele não é o rei da alta literatura, mas como bom contador de histórias é impecável. Adorei e recomendo muito (se você não tiver medo, claro).

Resenha: O Iluminado - Stephen King

Resenha: O Iluminado - Stephen KingTítulo original: The Shining
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 463
Ano: 2012
Gênero: Suspense/Terror
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Escrito por:

Isabela Zamboni



Comentários via Facebook

Comentários


Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *