Resenha: Onde Vivem os Monstros – Maurice Sendak

Resenha: Onde Vivem os Monstros - Maurice Sendak

FOTO: Melissa Marques | Resenhas à la Carte

Onde Vivem os Monstros é um daqueles livros disfarçados de “infantil”, mas que tem a leitura indispensável para pessoas de todas as idades. Se você ainda não conhece a história de Max e seus monstros, vale muito a pena dedicar alguns minutos para a leitura dessa obra incrível escrita e ilustrada por Maurice Sendak.

Max é um garoto como muitas crianças que conhecemos: rebelde, birrento e respondão. Certo dia, a mãe pede para que ele pare de brincar com sua fantasia de lobo e vá jantar. Ele brada e acaba ficando sem jantar e de castigo. Tudo muda quando o quarto de Max começa a se transformar em floresta, e até um barquinho surge para levá-lo para Onde Vivem os Monstros.

Resenha: Onde Vivem os Monstros - Maurice Sendak

FOTO: Melissa Marques | Resenhas à la Carte

No lugar recém descoberto, Max encontra criaturas fantásticas – e monstruosas! Que, de certa maneira, tem diversas características parecidas com as suas próprias. E, com um rugido, ele é declarado Rei dos Monstros.

Lá, apesar de toda a bagunça e diversão sem limites, Max é obrigado a confrontar seus medos e inseguranças. O garoto passa a questionar os monstros e a si mesmo. E é assim que acaba percebendo que sente saudade de casa.

Clique para comprar Onde Vivem os Monstros com um superdesconto:

A história é leve, mas cheia de detalhes que podem ser explorados. É um livro com foco em crianças bem pequenas, com frases curtas e ilustrações que chamam a atenção. Tudo muito encantador <3

Resenha: Onde Vivem os Monstros - Maurice Sendak

FOTO: Melissa Marques | Resenhas à la Carte

A obra já foi citada por escritores e outros artistas como fonte de inspiração. Até mesmo Barack Obama assumiu ser um dos adoradores da escrita e das belas ilustrações de Maurice Sendak.

A edição da falecida Cosac Naify é excelente: capa dura, folhas mais grossas e impressão primorosa. Portanto, se você quer garantir essa obra de arte na sua estante, é melhor correr pra Amazon e adquirir a sua (já que eles não imprimem mais, né).

Confira o trailer legendado de Onde Vivem os Monstros:

LEIA TAMBÉM

Resenha: Onde Vivem os Monstros - Maurice SendakTítulo original: Where the Wild Things Are
Autor: Maurice Sendak
Editora: Cosac Naify
Número de páginas: 46
Ano: 2009
Gênero: Infantil
Nota: 


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Livros comprados na Black Friday [2015] – Isabela

Todo ano rola a Black Friday e muitas lojas acabam enganando os consumidores com preços “baixos”, mas que na verdade são apenas os preços de sempre. Porém, nem toda loja é assim: a Amazon brasileira REALMENTE fez uma Black Friday incrível e eu acabei deixando ~meu rim~ na loja virtual. Comprei 10 livros! E trouxe aqui em detalhes pra vocês:

1. Misery – Stephen King

misery louca obsessão livro stephen king

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Olha lá, eu comprando mais um livro do Stephen King. Viciei muito! Misery eu já assisti ao filme, então vou deixar esse guardado por enquanto pra ler no futuro. Tava um preço bacana e eu gosto bastante dessa capa!

2. A Desumanização – Valter Hugo Mãe

a desumanização valter hugo mãe livro capa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Amei ler “O Filho de Mil Homens” (já resenhei aqui no blog) e quando vi o livro pela bagatela de 15 reais, já coloquei no carrinho. E veio a calhar, porque essa semana veio a notícia de que a Cosac Naify fechou as portas!

3. Dança Macabra – Stephen King

dança macabra stephen king

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Sim, mais um. Mas esse eu comprei pra presentear meu namorado, que é fã de terror. Esse livro é não-ficção, e parece que o autor faz uma análise do terror tanto no cinema como na literatura. Deve ser muito bom!

4. Antologia da Literatura Fantástica – Jorge Luis Borges

antologia da literatura fantástica livro

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Mais um da Cosac Naify que sempre foi caríssimo e consegui um preço bom (não é baraaato, mas deu pra comprar). Na verdade comprei às escuras, só pela indicação da minha irmã, mas sempre quis ler Jorge Luis Borges e também os outros autores dessa coletânea. Amo literatura fantástica!

5. Hibisco Roxo – Chimamanda Ngozi Adichie

Hibisco roxo - chimamanda ngozi adichie capa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Depois de ler Americanah (também resenhado aqui), agora eu quero todos os livros da Chimamanda. É bom demais! Sério, vai pra livraria mais próxima e compra um livro dela!

6. Drácula – Bram Stoker

drácula bram stoker livro

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Apesar de saber a história do Drácula de trás para frente, resolvi comprar o livro na edição da Penguin. A Zahar estava com uma edição capa dura bem bonita também, mas eu sou apaixonada pela Penguin. A tradução é ótima e sempre tem comentários e prefácios sensacionais.

7. O Nome da Rosa – Umberto Eco

Umberto Eco - O Nome da Rosa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Outro livro que todo mundo sempre fala bem, mas nunca li. Já assisti ao filme, mas lembro pouco e, obviamente, o livro deve ser bem melhor. Minha primeira experiência ao ler Umberto Eco!

8. Robinson Crusoé – Daniel Defoe

robinson crusoé daniel defoe capa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Mais um clássico da Penguin. Esse eu quis comprar mais por curiosidade mesmo, já que nunca li essa obra do Defoe que influenciou tantas outras histórias. O preço estava excelente também, paguei menos de 20 reais.

9. The Graveyard Book – Neil Gaiman

The graveyard book neil gaiman

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

The graveyard book neil gaiman

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Esse foi o último que comprei, porque achei por acaso. Mas quando vi essa capa dura, as ilustrações incríveis e algumas reviews falando que era tão bom quanto Coraline, nem pensei duas vezes. Eu amo os livros do Neil Gaiman! E não achei disponível a versão brasileira, então acabei comprando em inglês mesmo.

10. Contos de Imaginação e Mistério – Edgar Allan Poe

Adoro Poe (também já resenhei antes) mas nunca tive um livro físico do autor, só li ebooks. E “Contos de Imaginação e Mistério” sempre foi um sonho de consumo, mas o preço era bem salgado. Aproveitei a Black Friday e comprei! Eba! O livro é incrível, olha só esse projeto gráfico:

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Esses foram as minhas ~comprinhas~ da Black Friday! Compensou muito! Olhei nos outros sites e não achei nenhuma promo que me chamou atenção, só a Amazon mesmo. (E olha que nem é publi, estou falando porque gosto mesmo da loja!). E vocês, compraram algum? 🙂


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


5 motivos para sentir saudade da Cosac Naify

Essa semana foi divulgada uma notícia sobre o encerramento das atividades da editora Cosac Naify. Com certeza, uma grande perda para o mercado editorial. Porém, os leitores também sofrerão com o impacto da ação: perdemos uma editora incrível, que prezava – acima de tudo – pela qualidade de suas obras.

Por isso, com um sentimento saudosista já invadindo o peito – selecionamos cinco motivos para sentir saudades da Cosac. Confira:

Saudade, Cosac!

Seleção de obras incríveis – a editora sempre apostou em clássicos, além de obras instigantes e inovadoras. Alguns dos autores presentes no catálogo da Cosac – que será vendido, conforme reportagem da Veja – são: Pasolini, Tolstói, Claude Lévi-Strauss e Valter Hugo Mãe.

Cuidado na edição – com um time extremamente dedicado e detalhista, revisão e tradução das obras da Cosac Naify sempre foram de primeira! Impecáveis! Sem dúvidas, era difícil encontrar algum erro gramatical, de concordância ou mesmo de edição.

Projeto gráfico – sem dúvidas, sem comparações! Cada livro contava com um projeto gráfico único, exclusivo e extremamente rico. Completamente originais, os livros da Cosac Naify ganharam o “título” de verdadeiras obras de arte.

Saudade, Cosac!

Contribuição para cultura e estudos – entre os inúmeros títulos da editora, muitos deles eram voltados para os estudos. Arquitetura, arte, ciências humanas, cinema e teatro, música e dança, design, fotografia e moda, sempre tiveram destaque no catálogo da Cosac Naify.

Ótimo atendimento –  a qualidade dos produtos da Cosac sempre refletiu em outras áreas, inclusive no atendimento ao leitor  – posteriormente usuário. Os produtos sempre chegaram rápido, bem embalados… No online, a editora sempre esteve ao lado do público, respondendo, perguntando e instigando.

Saudade, Cosac!

Sentiremos saudade, Cosac!

Sem dúvidas, sentiremos saudades de uma das melhores editoras que o país já teve.

Fonte das matérias: Folha e Veja.

ATUALIZAÇÃO

Confira a emocionante carta aberta de Charles Cosac aos leitores da Cosac Naify

Meus Queridos Amigos,

Eu gostaria muitíssimo de agradecer ​a​ todos as tantas manifestações de solidariedade acerca do fim das atividades da Cosac Naify, quase dezenove anos depois. Eu fico, em verdade, comovido quando constato que nossas iniciativas não foram em vão e essa certeza somente os senhores, leitores e amigos dessa editora, podem me dar. Muito obrigado.

Ao me​u​ ver, uma editora deve existir exclusivamente para alimentar um projeto cultural e quando eu senti o projeto Cosac Naify ameaçado, eu julguei que seria o momento correto para cessarmos nossas atividades. Como o fiz​.​ Dessa maneira, eu perpetuo um sonho belíssimo do qual tantos participaram e ajudar​am​ a construir.

Eu sinto que tenho uma dívida enorme para com todos os senhores que lerem essa carta e, inclusive, para com minha própria editora através da qual eu os conheci e os senhores me conheceram também. Foi ótimo trabalhar na Cosac Naify todos esses anos e eu não poderia pensar em momentos mais felizes. Eu amo e agradeço igualmente à cidade de São Paulo, que me recebeu de braços abertos desde que a adotei como lar, há quase vinte anos.

Por fim, eu peço que saibam, que além de gratidão eu senti muito orgulho, prazer e alegria de trabalhar para os senhores todos esses anos.

Com sinceridade, o afeto e a paz que sempre luto para ter em mim.

Charles”


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques