Resenha: O Que é Fascismo? E Outros Ensaios – George Orwell

Quando comecei a ler O Que é Fascismo? E Outros Ensaios, me tornei ainda mais fã do autor George Orwell. Já conhecia seu brilhantismo por conta de Revolução dos Bichos e 1984, mas ler os ensaios, resenhas e textos políticos do autor foi uma experiência gratificante!

Resenha: O Que é Fascismo? E Outros Ensaios - George Orwell

FOTO: Isabela Zamboni | Resenhas à la Carte

Orwell faz duras críticas à guerra, à Coroa britânica, e também aos grupos radicais de esquerda e direita. Suas visões políticas são bem claras, ele demonstra bastante força e inteligência ao abordar temas complexos como o próprio conceito de fascismo, além de escrever a respeito até mesmo de Hitler, ao fazer uma resenha de Mein Kampf.

Algo que me chamou atenção ao ler os textos de Orwell foi como a linguagem utilizada é acessível. O autor escreve para todos os públicos: é muito simples compreender suas ideias e explicações, mesmo com temas mais ‘pesados’. Acredito que por ser jornalista, Orwell conseguia transmitir suas mensagens com clareza, mas sem cair no academicismo ou na linguagem literária rebuscada.

Resenha: O Que é Fascismo? E Outros Ensaios - George Orwell

FOTO: Isabela Zamboni | Resenhas à la Carte

Suas resenhas de livros são incríveis e, durante a leitura, até pensei: ‘quem me dera escrever resenhas incríveis como essas’. Ele consegue traçar paralelos com diversos autores e sempre elogia o brilhantismo de muitos, como Ezra Pound, Charles Dickens, Aldous Huxley, TS Eliot, entre outros nomes conhecidos.

Para comprar o livro, é só acessar o link abaixo:

O ensaio que leva o nome do livro, O Que é Fascismo?, é excepcional. Ele começa apontando os principais erros em relação ao próprio termo, que muitos consideram sinônimo de conservadorismo, mas que vai muito além. Ele demonstra como o termo fascismo é utilizado por diferentes grupos, todos com significados diferentes e, muitas vezes, opostos. Sua reflexão a respeito das intolerâncias – seja de estudiosos políticos, da ‘elite intelectual’ ou até mesmo de grupos revolucionários – é muito pertinente. Se você ler este livro, com certeza vai abrir sua mente e entender um pouco mais sobre política e sociologia, sempre com uma linguagem simples e fácil de entender.

LEIA TAMBÉM

* Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora

Resenha: O Que é Fascismo? E Outros Ensaios - George OrwellTítulo original: What Is Fascism?
Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 160
Ano: 2017
Gênero: Ensaios
Nota: 


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: A Revolução dos Bichos – George Orwell

A Revolução dos Bichos é um livro INCRÍVEL! Eu já havia lido há muuuito tempo – devia ter uns 13 anos na época – e  adorei. Porém, agora com 25, posso afirmar que a leitura foi bem mais prazerosa.

Resenha: A Revolução dos Bichos - George Orwell

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Não tem uma página do livro de George Orwell que não contenha ironia e acidez. É tão descarada a crítica aos regimes extremistas que gera um misto de riso e tristeza no leitor. Sem contar que é também revoltante: cada página você sofre com o absurdo imposto pelos próprios animais a seus companheiros de granja.

Em A Revolução dos Bichos, acompanhamos a trajetória dos bichos da Granja do Solar, que se revoltam contra seu dono, o humano sr. Jones. Jones é o humano típico, que explora o trabalho dos bichos e nunca os oferece nenhum tipo de tratamento adequado, fazendo-os passar fome e trabalharem sem piedade. Porém, liderados pelos ideais de igualdade do porco Major, após sua morte, os bichos finalmente se revoltam, entram em conflito com Jones e conseguem expulsá-lo do local. A partir de então, a Granja do Solar torna-se a Granja dos Bichos.

No início, tudo parece lindo e incrível, até que os porcos – bichos que foram designados os líderes da revolução, por serem mais espertos que os demais – começam a entrar em conflito. Neste momento em diante, a relação de exploração dos próprios bichos será o tema deste livro genial de Orwell.

A edição da Companhia das Letras contém o posfácio de Christopher Hitchens e relatos do próprio Orwell a respeito de sua obra e suas principais referências para criar a história.

Na verdade, nunca tive opiniões políticas claramente definidas. Tornei-me pró-socialista mais por desgosto com a maneira como os setores mais pobres dos trabalhadores industriais era oprimidos e negligenciados do que devido a qualquer admiração teórica por uma sociedade planificada. (p. 142)

Desde 1930, eu vira poucos indícios de que a URSS estivesse avançando na direção de algo que se pudesse chamar de socialismo. Pelo contrário, ficava chocando diante dos sinais claros de sua transformação numa sociedade hierarquizada, em que os governantes não têm mais razão de desistir do poder que qualquer outra classe dominante. (p.144)

O autor ainda explica que tentou esclarecer o mito soviético na Inglaterra: na Rússia havia uma grande atmosfera de censura da imprensa, campos de concentração e prisões sem julgamento, mas ninguém ficava sabendo, pois eram mascaradas pelo regime. Segundo Orwell, “de fato, ao meu ver, nada contribuiu tanto para a corrupção da ideia original de socialismo quanto a crença de que a Rússia é um país socialista e cada gesto de seus governantes deve ser desculpado, quando não imitado”.

Para comprar o livro, é só acessar o link abaixo:

E no livro ele aponta com genialidade o autoritarismo e a corrupção criada pelo poder, mas na pele de animais como porcos e cachorros. Cada bicho representa um arquétipo, descritas com maestria pelo autor. Não quero dar spoilers para quem ainda não leu, então, POR FAVOR, leia agora!

Resenha: A Revolução dos Bichos - George Orwell

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

São muitas frases geniais e separei algumas para esta resenha:

Porque quase todo o produto do nosso esforço nos é roubado pelos seres humanos. Eis, aí, camaradas, a resposta a todos os nossos problemas. Resume-se em uma só palavra – Homem. O Homem é o nosso verdadeiro e único inimigo. Retire-se da cena o Homem e a causa principal da fome e da sobrecarga de trabalho desaparecerá para sempre. (p.12)

Todos os hábitos do Homem são maus. E principalmente, jamais um animal deverá tiranizar outros animais. Fortes ou fracos, espertos ou simplórios, somos todos irmãos. Todos os animais são iguais. (p.15)

Repetiu inúmeras vezes: “Tática, camaradas, tática!”, saltando à roda e sacudindo o rabicho, com um riso jovial. Os bichos não estavam muito certos do significado da palavra, mas Garganta falava de modo tão persuasivo, e três cachorros – que por coincidência estavam com ele – rosnavam tão ameaçadores que eles aceitaram a explicação sem mais perguntas. (p.51)

A vida atualmente era só fome e trabalho, raciocinavam; não seria justo que lhes estivesse reservado um mundo melhor, mais além? (p. 94)

Nada como uma boa releitura! <3

LEIA TAMBÉM

Resenha: A Revolução dos Bichos - George OrwellTítulo original:  Animal Farm
Autor: George Orwell
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 147
Ano: 2007
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira
NotaEstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


2 Comentários
Escrito por:

Isabela Zamboni