Resenha: A Zona Morta – Stephen King

Quando peguei A Zona Morta para ler, não fazia ideia do que se tratava a história. Lembro de ter assistido ao filme A Hora da Zona Morta, com o Christopher Walken, há milênios, mas não lembrava de nada. Quando comecei, não consegui mais parar, assim como todo livro do Stephen King. Esse é um autor que consegue te fisgar, mesmo em um livro com 480 páginas!

Christopher Walken no filme A Zona Morta

A Zona Morta conta a história de John Smith, um professor que tem poderes “paranormais”. John sofreu um acidente na infância, bateu a cabeça e desde então sofre com alguns lampejos: toda vez que encosta em alguém, consegue sentir coisas estranhas, como prever o futuro, saber tudo sobre a vida da pessoa, entre outras coisas. Quando ainda jovem, ele sofre um acidente e fica em coma por quatro anos. Depois que acorda milagrosamente, ele vai se deparar com muitas mudanças e dificuldades, que levarão o personagem a um destino totalmente inesperado.

Resenha: A Zona Morta - Stephen King

FOTO: Isabela Zamboni | Resenhas à la Carte

John se considera amaldiçoado, já que esse “poder” só traz coisas negativas para sua vida. Muitas pessoas têm medo de encostar nele, não querem sua presença; outras ficam no seu pé para conseguir descobrir sobre suas vidas ou de outras pessoas. Ele também precisa se desvencilhar da imprensa o tempo todo, já que uns o consideram um charlatão e outros dizem que seu dom paranormal é incrível.

Na história também conhecemos outros personagens importantes na vida do protagonista: Sarah, sua namorada de antes do acidente, que se casou com outro; seu pai Herb, um homem muito bom, mas que vive um casamento conturbado; sua mãe Vera, uma fanática religiosa que acredita que a recuperação de John foi obra de Deus; Greg Stilsson, um político psicopata que cada vez mais está em ascensão com suas ideias conservadoras de direita (te lembra alguém?), entre outros. São diferentes histórias ao mesmo tempo, todas se entrelaçando com as visões paranormais de John Smith.

Achei interessante que esse é um livro que foge do terror: é um suspense misturado com drama, além de ter um viés político muito forte. O tempo todo acompanhamos as mudanças políticas nos Estados Unidos da década de 70. Inclusive, alguns presidentes como Jimmy Carter são citados, além de outros deputados e congressistas. A partir da metade do livro, ele se torna ainda mais voltado para as ideias de John em relação a Greg Stillson, político corrupto que está em ascensão.

Resenha: A Zona Morta - Stephen King

FOTO: Isabela Zamboni | Resenhas à la Carte

Obviamente não vou contar o final do livro, mas vou confessar que fiquei bem triste: até rolaram umas lágrimas. Conforme vamos acompanhando a vida de John após o coma, bate uma sensação muito forte de melancolia. Um jovem divertido, alegre, inteligente que tinha tudo para prosperar, de repente se vê inválido, numa vida cansativa, com enxaquecas constantes e essa sina paranormal.

Para comprar o livro, é só clicar no link abaixo:

O livro é muito bom, porém não é o meu preferido do Stephen King. Ele se torna cansativo em alguns momentos (principalmente quando foca bastante na política, assunto que me deixa um pouco exausta), mas no geral é uma leitura com partes empolgantes. E você, já leu? Recomenda? Conta pra gente nos comentários!

LEIA TAMBÉM 

* Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora

Resenha: A Zona Morta - Stephen KingTítulo original: The Dead Zone
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 480
Ano: 2017
Gênero: Suspense
Nota: 


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: A Sombra do Vento – Carlos Luiz Zafón

É difícil classificar o gênero de A Sombra do Vento. O autor, Carlos Luiz Zafón, coloca de tudo um pouco nessa obra: mistério, suspense, humor, drama, romance e fantasia. Essa complexidade de gêneros e a profundidade do livro são pontos fundamentais que ajudam a torna-lo tão magnífico e arrebatador.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón

FOTO: Reprodução

São 399 páginas, mas, quando a leitura começa, é fácil ler essa obra em poucos dias. Quando passamos da centésima página, a história ganha traços tão complexos que fica difícil parar. A Sombra do Vento é um livro que você para e pensa, questiona e, depois que termina, continua refletindo sobre.

A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo”, analisa a especialista em livros Nathalia Cardoso.

O espanhol Zafón, também famoso por outras obras, lançou esse livro em 2001. Em meio ao mix de emoções que a história traça, o leitor passa por uma montanha-russa junto com os personagens. A sinopse é um pouco complexa por si só, o que dá um indicativo do quão trabalhado, minucioso e bem escrito esse livro é.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón

Barcelona é a cidade onde a história é contada FOTO: Divulgação

O livro é retratado no passado. A história começa em 1945, antes de Barcelona tornar-se referência esportiva, grande centro para turistas e um lugar que nós, brasileiros em geral, amamos. Nessa época, há mais de 70 anos, a cidade ainda estava se consolidando no cenário europeu após períodos difíceis.

O personagem central é Daniel Sempere, e a história começa com ele: quando o pai de Daniel o leva para um lugar esquecido em Barcelona. Então, ele conhece uma biblioteca com formato de labirinto que abriga livros esquecidos que poucas pessoas dão valor.

Logo no primeiro livro que Daniel lê, ele se empolga e termina o romance na mesma noite. A obra em questão é A Sombra do Vento, do autor Júlian Carax. Após ficar maravilhado com o livro, Daniel busca mais informações sobre Carax, na expectativa de encontrar mais livros da mesma qualidade.

Clique para adquirir o livro: 

Nessa busca por mais livros de Carax, Daniel descobre que, aos poucos, os livros somem sem deixar rastros. Comprometido a saber do paradeiro das outras obras, Daniel começa uma aventura que perdura por décadas.

Zafón tem um toque diferenciado nesse livro, pois ele consegue fazer uma narrativa que em nenhum momento é cansativa, e isso não é fácil se tratando de uma obra que passa através de muitas décadas de vida do personagem principal.

O livro é retratado, em sua maior parte, sob a narrativa pessoal de Daniel. No entanto, ele tem alguns flashbacks em que outros personagens aparecem e dão o tom momentâneo do protagonismo. Aliás, os coadjuvantes ajudam a enriquecer ainda mais a história — em especial Férmin Romero de Torres.

Férmin é o melhor amigo de Daniel na história, e ele é fundamental para o livro. É um personagem muito sensível, com uma trajetória de vida delicada e que, através da simplicidade, consegue tirar boas risadas e grandes frases.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón

FOTO: Reprodução

O livro é tão bem escrito que dá uma sensação de que os personagens tiveram uma história verdadeira antes daquele livro, e que continuarão a ter por muito tempo. Mérito de Zafón, que consegue orquestrar a narrativa de modo brilhante.

Outra qualidade da obra é que se trata de um livro que tem o livro como principal assunto. Em muitos momentos, Zafón encontra uma maneira de relembrar para o leitor o valor e a importância que a leitura exerce na sociedade. “Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias”, relata a análise de Cardoso.

Os fãs do livro, no entanto, terão que se contentar com a versão escrita. Zafón já afirmou que não vai realizar uma adaptação da obra para o cinema.

Uma leitura madura, complexa e muito elogiada pela crítica, A Sombra do Vento é uma história que corresponde as ótimas análises.

LEIA TAMBÉM

Título original: La Sombra Del Viento Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón
Autor:
 Carlos Luiz Zafón
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 399
Ano: 2001
Gênero: Romance
Nota: 

* Esse post é um publieditorial.


2 Comentários
Escrito por:

Melissa Marques


Livros comprados na Black Friday [2015] – Isabela

Todo ano rola a Black Friday e muitas lojas acabam enganando os consumidores com preços “baixos”, mas que na verdade são apenas os preços de sempre. Porém, nem toda loja é assim: a Amazon brasileira REALMENTE fez uma Black Friday incrível e eu acabei deixando ~meu rim~ na loja virtual. Comprei 10 livros! E trouxe aqui em detalhes pra vocês:

1. Misery – Stephen King

misery louca obsessão livro stephen king

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Olha lá, eu comprando mais um livro do Stephen King. Viciei muito! Misery eu já assisti ao filme, então vou deixar esse guardado por enquanto pra ler no futuro. Tava um preço bacana e eu gosto bastante dessa capa!

2. A Desumanização – Valter Hugo Mãe

a desumanização valter hugo mãe livro capa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Amei ler “O Filho de Mil Homens” (já resenhei aqui no blog) e quando vi o livro pela bagatela de 15 reais, já coloquei no carrinho. E veio a calhar, porque essa semana veio a notícia de que a Cosac Naify fechou as portas!

3. Dança Macabra – Stephen King

dança macabra stephen king

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Sim, mais um. Mas esse eu comprei pra presentear meu namorado, que é fã de terror. Esse livro é não-ficção, e parece que o autor faz uma análise do terror tanto no cinema como na literatura. Deve ser muito bom!

4. Antologia da Literatura Fantástica – Jorge Luis Borges

antologia da literatura fantástica livro

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Mais um da Cosac Naify que sempre foi caríssimo e consegui um preço bom (não é baraaato, mas deu pra comprar). Na verdade comprei às escuras, só pela indicação da minha irmã, mas sempre quis ler Jorge Luis Borges e também os outros autores dessa coletânea. Amo literatura fantástica!

5. Hibisco Roxo – Chimamanda Ngozi Adichie

Hibisco roxo - chimamanda ngozi adichie capa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Depois de ler Americanah (também resenhado aqui), agora eu quero todos os livros da Chimamanda. É bom demais! Sério, vai pra livraria mais próxima e compra um livro dela!

6. Drácula – Bram Stoker

drácula bram stoker livro

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Apesar de saber a história do Drácula de trás para frente, resolvi comprar o livro na edição da Penguin. A Zahar estava com uma edição capa dura bem bonita também, mas eu sou apaixonada pela Penguin. A tradução é ótima e sempre tem comentários e prefácios sensacionais.

7. O Nome da Rosa – Umberto Eco

Umberto Eco - O Nome da Rosa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Outro livro que todo mundo sempre fala bem, mas nunca li. Já assisti ao filme, mas lembro pouco e, obviamente, o livro deve ser bem melhor. Minha primeira experiência ao ler Umberto Eco!

8. Robinson Crusoé – Daniel Defoe

robinson crusoé daniel defoe capa

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Mais um clássico da Penguin. Esse eu quis comprar mais por curiosidade mesmo, já que nunca li essa obra do Defoe que influenciou tantas outras histórias. O preço estava excelente também, paguei menos de 20 reais.

9. The Graveyard Book – Neil Gaiman

The graveyard book neil gaiman

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

The graveyard book neil gaiman

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Esse foi o último que comprei, porque achei por acaso. Mas quando vi essa capa dura, as ilustrações incríveis e algumas reviews falando que era tão bom quanto Coraline, nem pensei duas vezes. Eu amo os livros do Neil Gaiman! E não achei disponível a versão brasileira, então acabei comprando em inglês mesmo.

10. Contos de Imaginação e Mistério – Edgar Allan Poe

Adoro Poe (também já resenhei antes) mas nunca tive um livro físico do autor, só li ebooks. E “Contos de Imaginação e Mistério” sempre foi um sonho de consumo, mas o preço era bem salgado. Aproveitei a Black Friday e comprei! Eba! O livro é incrível, olha só esse projeto gráfico:

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

contos de imaginação e mistério edgar allan poe

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Esses foram as minhas ~comprinhas~ da Black Friday! Compensou muito! Olhei nos outros sites e não achei nenhuma promo que me chamou atenção, só a Amazon mesmo. (E olha que nem é publi, estou falando porque gosto mesmo da loja!). E vocês, compraram algum? 🙂


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: O Iluminado – Stephen King

Parece até meio sem noção fazer uma resenha do Iluminado, né? Afinal, quem nunca viu o filme ou já leu esse clássico do Stephen King? E mesmo se a pessoa não tenha visto/lido, com certeza já ouviu falar ou sabe mais ou menos a história. Mas não importa! Quis fazer essa resenha porque esse foi meu primeiro contato verdadeiro com o autor (já tinha lido Os Olhos do Dragão e Sobre a Escrita, mas não é a mesma coisa) que todo mundo fala: o mestre do horror, do suspense, do thriller psicológico. E vou confessar que gostei muito! Mais do que eu esperava.

Resenha: O Iluminado - Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

O Iluminado não é somente uma história de horror – o que mais me “pegou”, na verdade, foi a tensão. Meu Deus, que livro TENSO! Eu quase roí todas as minhas unhas e sempre me pegava com o cenho franzido enquanto lia. O livro é bem grande, com mais de 400 páginas, mas não dá vontade de parar de ler. Só que o mais legal disso tudo é que o livro demooooora pra desenrolar. Pode parecer uma característica negativa, mas é isso que o torna tão interessante. Por conta dessa demora, os personagens são muito bem construídos e complexos; nossas expectativas aumentam em relação ao que pode acontecer em breve; o clima de suspense se constrói no ritmo certo; e somos envolvidos com tanto ardor na história que, mesmo depois que o capítulo acaba, ela continua na nossa cabeça.

A história é sobre o ex-alcoólatra e agora desempregado Jack Torrance, que aceita um emprego como zelador do afastado Hotel Overlook para conseguir sustentar sua esposa Wendy e seu filho Danny. Danny é uma criança especial, sensível e que consegue perceber coisas que outras pessoas não conseguem. Wendy é uma mãe preocupada e uma esposa atormentada por conta do alcoolismo do marido, que já trouxe problemas demais para a família. E Jack é um personagem único, pois ao mesmo tempo em que luta contra seu temperamento difícil, ainda se esforça para manter a união familiar. O problema é quando eles chegam ao Hotel Overlook para passar o inverno: todos os funcionários vão embora e os três ficam sozinhos no lugar, onde começam a acontecer eventos bizarros e perturbadores.

++RESENHA: O HOMEM INVISÍVEL, DE HG WELLS

++RESENHA: FRANKENSTEIN, DE MARY SHELLEY

Engraçado é que mesmo os personagens sendo um tanto odiosos (às vezes dá vontade de socar a cara deles), a empatia surge mesmo assim. Adoro quando o autor consegue fazer a gente entender o lado de pessoas atormentadas, que têm seu lado ruim, mas que também se esforçam para conseguir lidar com seus problemas. O Iluminado é, acima de tudo, um drama familiar, em um contexto de suspense muito interessante.

Eu sempre ouvi falar que o Stephen King detestou a adaptação do Kubrick para o cinema, o que me deixou meio incrédula. O filme do Kubrick é tão bom, tão intenso! Por que ele não gostou? Simples: porque o filme é COMPLETAMENTE DIFERENTE do livro. Claro que o contexto geral é o mesmo, algumas coisas similares acontecem, mas falando sério: parece que eu vi duas histórias parecidas, mas não uma adaptação. Acho que é melhor falar que o Kubrick dirigiu uma reinterpretação do livro. Obviamente que a linguagem cinematográfica é diferente da linguagem do livro, mas ainda assim, foram trabalhos bem divergentes. Portanto, os dois são bons, com algumas partes em comum, mas que podem ser apreciados de forma separada.

Enfim, terminei a leitura desse livro e já virei fangirl do Stephen King. Ele não é o rei da alta literatura, mas como bom contador de histórias é impecável. Adorei e recomendo muito (se você não tiver medo, claro).

Resenha: O Iluminado - Stephen King

Resenha: O Iluminado - Stephen KingTítulo original: The Shining
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 463
Ano: 2012
Gênero: Suspense/Terror
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni