Resenha: Na Natureza Selvagem – Jon Krakauer

Resenha: Na Natureza Selvagem - Jon Krakauer

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Já resenhei esse livro na rua para tantas pessoas que me sinto sendo repetitiva ao falar dele aqui no blog. Mas Na Natureza Selvagem é assim: gera interesse em todo mundo. Pouco importa se você concorda ou não com a visão de mundo de Chris McCandless. Uma coisa é certa: você, provavelmente, vai querer saber mais e mais sobre ele.

Meu primeiro contato com a história de Chris foi através do filme Na Natureza Selvagem. Sei que a ideia não é falar sobre filmes por aqui, mas vale um parêntese: assistam hoje mesmo! Que filme sensível e emocionante! Aquela história ficou na minha mente por dias e, aquelas 2h30 de filme não foram suficientes para mim.

Clique para comprar:

Fui atrás e descobri que o famoso jornalista Jon Krakauer (Autor do sucesso No Ar Rarefeito) havia escrito uma biografia póstuma sobre McCandless. Demorei um tempo até começar a ler Na Natureza Selvagem e, acreditem, foi bastante penoso.

Como herança do jornalismo, o texto de Jon mostra diversas “facetas” dos fatos, entrevista fontes, descreve minuciosamente as paisagens. E isso torna o livro extremamente rico em detalhes, apesar das poucas páginas. Inclusive, o autor arrisca em abordar questões intrínsecas à Chris McCandless que possam tê-lo levado a se aventurar na natureza selvagem.

O importante é que, apesar do clichê, ele precisou estar perdido para se encontrar. Em uma das passagens do livro, o autor explica o pano de fundo da famosa frase “Felicidade só é real quando compartilhada” (p. 197).

Resenha: Na Natureza Selvagem - Jon Krakauer

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Durante o período de afastamento social, Chris McCandless tornou-se Alexander Supertramp, “senhor de seu próprio destino” (p.34), e deixou anotações – como um diário – esparsas nos livros que levou consigo para a viagem.

O autor, Jon Krakauer, é alpinista e carrega um grande bagagem sobre escaladas e aventuras, por isso, muitas vezes, acaba envolvido demais com a história e apela para o lado emocional. Em certo momento do livro, ele acaba citando algumas de suas histórias e de outros nômades que, por algum motivo, acabaram se embrenhando pela mata. Porém, é nesse ponto que Na Natureza Selvagem torna-se lento.

Para a produção de Na Natureza Selvagem, Jon praticamente refaz o caminho do garoto e, inclusive, entrevista pessoas que tiveram contato com McCandless. É aflitivo ler sobre as dificuldades que Cris passou, os erros que cometeu, o julgamento dos nativos, os problemas familiares… E tudo isso é exposto de forma bem clara na narrativa. Um livro reportagem bem completo, aliás.

Trilha sonora de Na Natureza Selvagem

 – A soundtrack do filme foi produzida inteiramente por Eddie Vedder (Pearl Jam):

LEIA TAMBÉM

Resenha: Na Natureza Selvagem - Jon Krakauer

Título original: Into the Wild
Autor: John Krakauer
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 213
Ano: 1998
Gênero: Biografia
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: Heath Ledger – O Astro Sombrio de Hollywood – Brian J. Robb

Resenha: Heath Ledger - O Astro Sombrio de Hollywood - Brian J. Robb

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Comecei a ler a biografia de Heath Ledger em 2016 (março) e só consegui finalizar dia 01/01/2017. Para mim, tornou-se uma leitura arrastada, já que – de certa forma – conheço um pouco sobre a vida e a obra do ator. Mas terminar Heath Ledger – O Astro Sombrio de Hollywood foi uma tarefa complicada, pois, como fã, é difícil rever os detalhes da tragédia que envolvem a morte prematura de Heath.

Por meio de uma pesquisa rápida, pude descobrir que o autor – Brian J. Robb – é especialista em fazer biografias de famosos. Porém, não acredito que sejam biografias autorizadas. Na verdade, uma das coisas que mais me chateou no livro foi o fato de que ele é (basicamente) inteiro escrito com base em entrevistas já publicadas em meios de comunicação como People, Daily News e US Weekly. Portanto, o trabalho de Brian foi o de agrupar essas entrevistas e escrever o livro com base nelas.

Clique na imagem e adquira o seu:

Não me lembro de ter lido nenhuma entrevista – com amigos, parentes ou celebridades – feita exclusivamente para o livro. Como jornalista, achei estranho. O livro é bem simples, não tem 2ª ou 3ª capa. O layout e a linguagem lembram uma revista (magazine). As fotos utilizadas são, na maioria, de divulgação de filmes feitos pelo ator ou de bancos de imagens.

Resenha: Heath Ledger - O Astro Sombrio de Hollywood - Brian J. Robb

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

De qualquer forma, pude aprender um pouco mais sobre a infância de Heath na Austrália, seus 16 filmes completos em 10 anos de carreira, seus transtornos e vícios, o envolvimento com Michelle Williams, e claro: as inúmeras especulações e o espetáculo da mídia sobre a morte do ator.

No geral, o livro poderia ser bem mais aprofundado, mas vale como registro e recordação de um jovem promissor que deixou saudade.

LEIA TAMBÉM

Resenha: Heath Ledger - O Astro Sombrio de Hollywood - Brian J. RobbTítulo original: Heath Ledger: Hollywood’s Dark Star
Autor: Brian J. Robb
Editora: Panini
Número de páginas: 248
Ano: 2009
Gênero: Biografia
Nota: EstrelaEstrelaestrela vaziaestrela vaziaestrela vazia


2 Comentários
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: Sobre a Escrita – A Arte em Memórias – Stephen King

Gostei tanto desse livro Sobre a Escrita que eu não queria que ele acabasse! Fazia tanto tempo que eu não lia um livro assim, num estouro, morrendo de vontade de chegar em casa e continuar… E o mais engraçado é que não é um livro de ficção (meu gênero favorito), mas uma minibiografia do autor Stephen King, que deu dicas valiosas para quem quer ser escritor.

Resenha: Sobre a Escrita - A Arte em Memórias - Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Eu sempre sonhei em ser escritora (quem sabe um dia), mas nunca tive o ímpeto de colocar as personagens no papel. Esse livro me fez ter vontade de começar: ele fornece dicas preciosas para quem sonha em escrever melhor e criar histórias consistentes.

O livro é dividido em partes: na primeira, conhecemos um pouco da vida do Stephen King e tudo o que ele passou até conseguir se tornar um autor famoso. Conhecemos a infância, a adolescência, os problemas financeiros, as amizades, os estudos, amores, enfim, um resumão da vida do autor. Eu achei bom porque ele conta até as partes difíceis de sua vida: a luta contra o alcoolismo e a cocaína, os problemas que teve a partir disso e as dificuldades de conseguir sobreviver trabalhando em uma lavanderia com uma família para sustentar.

A boa escrita costuma vir ao deixarmos o medo e a afetação de lado. A própria afetação, que começa com a necessidade de definir certos tipos de escrita como “bons” e outros como “ruins”, é um reflexo do medo.

Depois de conhecer a vida de Stephen, chega a segunda parte do livro: as dicas para escritores iniciantes. O que eu mais gostei é que ele separa por temas: fala sobre gramática, explica sobre construção de frases, cita autores famosos (bons e ruins) para exemplificar suas ideias… Depois fala sobre temática, gênero, ritmo, substância, o mercado editorial, o reconhecimento, como colocar suas ideias no papel, entre tantas outras informações. Eu fiquei encantada com o livro, nunca tinha lido algo parecido: um autor tão honesto e tão sincero com seus leitores.

Resenha: Sobre a Escrita - A Arte em Memórias - Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Stephen King deixa claro que ele não é um escritor clássico e nem se preocupa em ser um Dickens ou Poe. O que ele realmente gosta é de contar histórias e isso, não há como negar, ele sabe fazer muito bem. King rebate as críticas dos cult chatos que dizem que o que ele escreve não é bom. Porém, ele consegue mostrar que realmente sabe do assunto e nada mais gostoso do que ler alguém que está se abrindo com a maior honestidade possível.

+++ O TRABALHO DE ALGUNS AUTORES ANTES DE SEREM FAMOSOS!

O ritmo da leitura flui muito rápido e em poucas páginas conseguimos absorver bastante informação. É claro que algumas coisas não fazem parte da realidade brasileira: ele dá dicas gramaticais da língua inglesa, comenta o mercado editorial nos Estados Unidos da década de 90, entre outras coisas que não se encaixam no contexto atual. Mas ainda assim, é uma lição pra vida: e se você tem vontade de escrever um livro, esse é um ótimo começo.

Escreva com a porta fechada, reescreva com a porta aberta. Em outras palavras, você começa escrevendo algo só seu, mas depois o texto precisa ir para a rua. Assim que você descobre qual é a história e consegue contá-la direito – tanto quanto você for capaz -, ela passa a pertencer a quem quiser ler.

Gostei tanto da leitura que acabei comprando outros livros sobre a escrita, que vou comentar em breve aqui no blog. Para quem sonha em ser escritor, ou até mesmo deseja escrever uma história sólida, é uma obra imprescindível. Eu confesso que só li um livro do Stephen King até hoje (pois é), mas no momento estou no comecinho de O Iluminado. Virei fã! <3

Resenha: Sobre a Escrita - A Arte em Memórias - Stephen King

Título original: On Writing: A Memoir of the Craft
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 256
Ano: 2015
Gênero: Biografia/Não-ficção
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: Minha Breve História – Stephen Hawking

Resenha: Minha Breve História - Stephen Hawking

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Posso dizer que sempre fui “fã” de Stephen Hawking. À primeira vista o que chama a atenção é óbvio: o fato de o físico ter Esclerose Lateral Amiotrófica e, ainda assim, aos 73 anos, continuar produtivo e com um humor peculiar.

Depois de assistir ao filme A Teoria de Tudo (baseado no livro homônimo escrito por Jane, a ex-mulher de Stephen), fiquei ainda mais interessada por sua história de vida e, numa viagem, resolvi comprar a autobiografia do autor, intitulada Minha Breve História.

Ao meu ver, alguém com uma história como a de Stephen teria MUITO para contar. Porém, mais uma vez o gênio deixa claro a sua simplicidade e aborda, em apenas 144 páginas, toda sua trajetória de vida.

Resenha: Minha Breve História - Stephen Hawking

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Os assuntos abordados são os mais diversos: infância, casamento, viagem no tempo, buracos negros, entre outros. Sempre intercalando vida pessoal e acadêmica.

O livro é escrito na medida certa para não ser maçante, já que, diversas vezes Stephen nos apresenta alguns termos mais técnicos e tenta explicá-los para leigos (como eu!, haha). Porém, confesso que mesmo com a linguagem simplista, acabei “passando o olho” em algumas partes do livro (como nos capítulos: Ondas Gravitacionais, Buracos Negros, Viagem no Tempo e Tempo Imaginário).

Entretanto, o livro é indicado para os amantes de biografias e para quem quer saber um pouco mais sobre a jornada de Stephen que, mesmo com todas as limitações impostas pelo acaso, se destaca como um dos mais importantes físicos da história (e da cosmologia).

LEIA TAMBÉM

Minha breve história - Stephen HawkingTítulo original: My Brief Story
Autora: Stephen Hawking
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 144
Ano: 2013
Gênero: Autobiografia
Nota: 1 estrela1 estrela1 estrela1 estrelaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: Não Sou Uma Dessas – Lena Dunham

Até então, nunca tive contato com nenhuma obra de Lena, nem seus filmes independentes ou até mesmo a famosa série Girls, transmitida pela HBO. Tudo o que eu sabia dessa mulher era: ela é uma pessoa polêmica. Feminista. E que usa looks “duvidosos” em alguns red carpets.

E só. Bem superficial, eu sei. Por isso, ao saber do lançamento de Eu Não Sou Uma Dessas pela Editora Intrínseca, decidi dedicar um tempo à leitura do livro e conhecer melhor a intérprete de Hannah Horvath.

Resenha: Não sou uma dessas - Lena Dunham

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

A primeira impressão que tive foi boa: achei Lena uma pessoa bem lúcida. Esperava alguém mais afetado e que só pensasse em sexo (como algumas pessoas definem a personagem dela em Girls).

Mas não! Apesar de o tema ser abordado diversas vezes e de diferentes formas no livro, não se trata apenas disso.

Lena fala sobre adolescência, crescimento pessoal, dificuldades para se fazer ouvir, masturbação, estranhamento com o próprio corpo, doenças do sono, DSTs, e muitos outros temas que podem ou não ser tabus para você.

Resenha: Não sou uma dessas - Lena Dunham

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Ela é corajosa, se expõe e não tem medo ou vergonha disso (dá pra perceber pelas cenas de nudez dela no seriado, né?). Como a própria Lena diz na introdução do livro

“[…] se eu puder lançar mão do que aprendi para tornar qualquer tarefa mais fácil para você […] então cada passo em falso que dei terá valido a pena”.

E é exatamente isso que acontece: você, com certeza, não passará pelas quase 300 páginas do livro sem se identificar com alguma história descrita por Lena. O livro é uma verdadeira conversa: parece que estamos lidando com uma amiga de longa data que, ao conseguir um espaço na agenda, resolve colocar o papo em dia com a galera.

O livro poderia ser um diálogo na mesa de bar ou ter sido discutido durante um jantar entre amigas, mas Lena resolveu expandir seus medos, certezas, derrotas, amizades, amores, doenças, criatividade, para outras pessoas e pretende, com isso, fazer com que o leitor repense seus próprios medos, certezas, derrotas…

Resenha: Não sou uma dessas - Lena Dunham

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

O livro é bem fluído. Na primeira noite que peguei para ler foram 60 páginas em meia hora! Rápido e direto ao ponto, assim como a autora. Ótimo para os que – como eu – adoram biografias! Além disso, a pegada de “reflexão” também é superválida, principalmente agora no início do ano, né?

Resenha: Não sou uma dessas - Lena Dunham

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Alguém já leu? Concorda comigo? O que vocês acharam de “Não Sou Uma Dessas”? Conta pra gente nos comentários.

LEIA TAMBÉM

Não sou uma dessas - Lena Dunham Título original: Not that kind of girl: a young woman tells you what she’s “learned”
Autor: Lena Dunham
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 304
Ano: 2014
Gênero: Autobiografia
Nota: 1 estrela1 estrela1 estrela1 estrelaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques