Resenha

Resenha: Sandman – Prelúdio 1 – Neil Gaiman e J. H. Williams III

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Quem me conhece um pouquinho sabe que sou superfã de Neil Gaiman. Porém, nunca tive oportunidade de ter contato com Sandman, considerado por muitos sua obra-prima, sucesso de público e crítica.

Quando soube do lançamento de Sandman – Prelúdio 1, fiquei empolgada e fui às bancas procurar a novidade. Como era de se esperar, o exemplar estava esgotado em todas as bancas que procurei. Porém, acabei encontrando uma edição nova no Sebo Espaço Literário e adquiri por R$ 21,90.

Não é um preço “comum” para exemplares de HQ, mas como eu não costumo investir muito no gênero, acabei comprando.

A sinopse é a seguinteMorpheus, o Rei dos Sonhos, tem a sensação de que algo está muito errado. Em meio às suas responsabilidades com o mundo do Sonhar e seus súditos, ele recebe um misterioso chamado. Mesmo sem saber do que se trata, mas atraído e impelido a responder a convocação, se mune de seu elmo, rubi e algibeira de areia para partir rumo a uma desconhecida jornada.

Importante: vale lembrar que essa é a visão de uma leitora esporádica de HQ. Não faço coleções ou acompanho os lançamentos. Apenas compro um ou outro título que me interessa…

Resenha: Sandman - Prelúdio 1 - Neil Gaiman e J. H. Williams III
FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Então, aqui vão as minhas considerações:

Pelo que pesquisei, a série foi publicada de 1988 a 1996. Porém, quase 20 anos após a última edição (75ª), Gaiman e Williams se uniram para produzir o “prelúdio”, isto é, mostrar como tudo começou.

“Digo a mim mesmo que sou Sonho dos Perpétuos. Eu sou SONHO. E estou preparado para o que quer que me espere”.

Como nunca tive contato com as HQs do personagem, fiquei um pouco perdida lendo a primeira edição, principalmente em relação aos personagens, mundos e tempos, porém, a ideia principal é passada com maestria. A atmosfera onírica da HQ é um show à parte. Willians trouxe com perfeição o clima sombrio e fantástico que é marca registrada de Neil Gaiman.

“Indiscutivelmente, há nós: uma multiplicidade de pontos de vista, mais do que um de mim é, por definição, nós”.

Roteiro, diálogos e ilustrações tiram o leitor do lugar-comum e fazem pensar. E o melhor: ajudam a criar o clima de suspense no ar. A narrativa fantástica de SONHO cativa, ganha nossa atenção e prende da primeira a última página.

Resenha: Sandman - Prelúdio 1 - Neil Gaiman e J. H. Williams III
Página quadrupla MARAVILHOSA! FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Outro detalhe bem legal são as páginas dedicadas aos extras. Em Sandman – Prelúdio 1, vemos como é o processo de arte dos quadrinhos: a concepção do desenho, as cores base, a coloração final através de um processo digital… Até a maravilhosa arte final! Como eu adoro esse tipo de “curiosidade”, gostaria de ter lido mais páginas dedicadas ao assunto. Será que no próximo volume da série os extras serão maiores? *_*

Para comprar, é só clicar no link abaixo:

 

Em alguns fóruns, o pessoal comentou que iria esperar a Panini Books liberar o volume único da coleção. É uma escolha. Como eu não aguento esperar, vou comprar picadinho mesmo. Haha! Inclusive, o pessoal comentou que a fonte de Sandman na capa é horrível. Não discordo. Ela destoou bastante, mas nada que interfira diretamente na qualidade da obra. Além disso, pelo que pesquisei, a fonte da próxima capa é diferente, com uma pegada mais western.

Resumindo: mal posso esperar por Sandman – Prelúdio 2!!

LEIA TAMBÉM

Capa Sandman Prelúdio 1Título original: Sandman Overture 1
Autor: Neil Gaiman e J. H. Williams III
Editora: Panini Books
Número de páginas: 56
Ano: 2015
Gênero: HQ
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela

Curiosidades

Curta: Behind the Trees, de Amanda Palmer sobre Neil Gaiman

Antes de pegar no sono completamente, o autor Neil Gaiman balbucia algumas palavras. A mulher, a também autora e cantora Amanda Palmer, aproveitava o momento para se divertir e tentava conversar com o marido. Ela costuma fazer anotações sobre essas conversas ou gravá-las em áudios para ouvir depois. Em um desses diálogos ~loucos~ surgiu o curta abaixo, onde Neil divaga sobre “pessoas atrás de árvores“. Confira:

 

Confira o texto original em inglês:

who are you, i asked
umm, just some bloke you met, he said
no who are you really, you’re not just some block, you’re special
no there’s million like me, he said, millions
and i said, well, where are they?
and he said
i dunno
and i said: no really, you’ve been all over the world, if there’s millions like you, where are they?
and he said: behind the trees
i said, which trees?
all the trees.
i said, no i don’t think so, neil, i think you’re unique-
-no they’re all behind the trees, they’re all waiting to come out
and i said: when are they gonna come out?
when they’ve decided its okay.
and i said: well if they’re all like you, and they’re all behind trees, but you’ve come out of the tree and you’re in the middle, what are they doing back there…because then they’re not actually like you…
i’m the first, he said.
okay…so you’re like a pioneer?
yes, he said, and…any day now they’re gonna come out. i think they’re a bit scared. they’re like…the red-headed lady…we’re not quite sure about her.
and i said: it sounds a lot like you.
well of course it does, they’re me.
yeah but you came out. they’re behind the trees. you’re not behind the tree. you’re out from behind the tree. i don’t get it…..*sigh*….i don’t think anything’s behind the trees“.

E abaixo, a versão traduzida livremente pelo Resenhas à la Carte:

“Quem é você, eu perguntei
umm, apenas um cara que você conheceu, disse ele
não, quem é você realmente, você não é apenas um bloco, você é especial
não, há milhões como eu, ele disse, milhões
e eu disse, bem, onde eles estão?
e ele disse:
Não sei
e eu disse: não, realmente, você esteve no mundo todo, se há milhões de pessoas como você, onde estão eles?
e ele disse: atrás das árvores
eu disse, que árvores?
Todas as árvores.
Eu disse: Não, eu não penso assim, Neil, eu acho que você é único
– Não, eles estão todos atrás das árvores, eles estão todos esperando para sair
e eu disse: quando é que eles vão sair?
quando eles decidirem que está tudo bem.
e eu disse: bem, se eles são todos como você, e eles estão todos atrás de árvores, mas você veio para fora da árvore e você está no meio, o que estão fazendo lá atrás … porque então talvez eles não sejam realmente como você …
eu sou o primeiro, disse ele.
ok … então você é como um pioneiro?
sim, ele disse, e … qualquer dia eles vão sair. Acho que eles estão um pouco assustados. eles são como … a garota ruiva … nós não temos certeza sobre ela.
e eu disse: que soa muito parecido com você.
bem é claro que sim, eles são eu.
sim, mas você saiu. eles estão atrás das árvores. você não está atrás da árvore. você está fora de trás da árvore. eu não entendi … .. * suspiro * … Eu acho que não há nada trás das árvores “.

Animação por: Avi Ofer
Assistentes de animação: Santi Amézqueta Porteros & Héctor Zafra Matos
Música escrita e gravada por: Amanda Palmer

Resenha

Resenha: O Dia de Chu – Neil Gaiman e Adam Rex

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Depois de ler O Oceano no Fim do Caminho, fiquei com uma ótima primeira-impressão de Neil. E fiquei superfeliz ao receber O Dia de Chu, por dois motivos: 1) há anos eu não lia um livro infantil e 2) é escrito por Gaiman.

O livro conta a história de Chu, um bebê panda superfofo que tem um grande problema: quando ele espirra, “coisas ruins acontecem”.

Para uma criança o livro é incrível: as ilustrações feitas por Adam Rex são magníficas, coloridas, cheias de detalhes, chamativas, bonitinhas e engraçadas. O livro é – como é de se esperar – extremamente visual e o trabalho do ilustrador é notável!

Resenha: O Dia de Chu - Neil Gaiman
FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Os pequenos com certeza irão adorar e O Dia de Chu tem tudo para se tornar um daqueles livros que somos obrigados a ler diariamente até as crianças adormecerem, sabe? <3

Mas a história por trás do pequeno Chu também dá uma lição aos  pais (principalmente aos de primeira-viagem): você pode tentar proteger seus filhos, mas existem coisas que estão fora do seu alcance. E isso nós aprendemos em 34 páginas realmente satisfatórias.

Para comprar O Dia de Chu, é só clicar no link abaixo:

Fico feliz ao ver a desenvoltura de Neil como autor. Ele permeia entre o infantil, o juvenil e o adulto sem a menor dificuldade. E isso, com certeza, poucos conseguem.

Resenha: O Dia de Chu - Neil Gaiman
FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

SINOPSE:

Chu é um filhote de panda fofinho como todo filhote de panda. O que há de diferente com ele – além de sua camiseta verde e de seus charmosos óculos amarelos estilo aviador – é que Chu é um pouco alérgico. E quando ele espirra, coisas ruins podem acontecer. Sem dizer exatamente que coisas são essas, o cultuado escritor britânico Neil Gaiman vai prendendo a atenção dos pequenos em O dia de Chu, que acompanha um dia de fortes emoções na vida desse simpático filhote.

Carinhosos e cuidadosos, os pais de Chu sabem que coisas ruins podem acontecer quando o filhote sente aquela coceirinha no nariz. E se atentam para qualquer sinal de que ele possa espirrar. Mas não é que às vezes as coisas acontecem quando menos esperamos?! Ou será que Chu gosta mesmo é de confundir seus pais (e o leitor)?

O dia de Chu começa com uma visita à biblioteca cheia de livros empoeirados, passa por um almoço no restaurante Moby Dinner, onde há um forte cheiro de pimenta no ar, e termina com um animado espetáculo de circo. Será que Chu vai espirrar hoje?

O próximo título da série terá como tema principal a ida de Chu à escola.

Confira o booktrailer do livro O Dia de Chu:

* O livro foi enviado pela assessoria da marca, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

LEIA TAMBÉM

O dia de Chu - Neil Gaiman e Adam RexTítulo original: Chu’s Day
Autor: Neil Gaiman e Adam Rex
Editora: ROCCO Pequenos Leitores
Número de páginas: 32
Ano: 2013
Gênero: Infantil
Nota: 1 estrela1 estrela1 estrela1 estrela1 estrela