Resenha

Resenha: Ninguém Vira Adulto de Verdade – Sarah Andersen

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Sabe aquele livro que, de cara, gera uma identificação absurda com o leitor? Ao começar Ninguém Vira Adulto de Verdade, da autora Sarah Andersen, tive certeza que minha vida estava sendo observada durante esses 25 anos. Não só pela protagonista dos quadrinhos ser uma baixinha-de-cabelo-curto-dona-de-um-coelho (como eu), mas pelas situações retratadas no livro. Inúmeras já aconteceram comigo. Ao terminar de ler, me senti um belo chichêzão.

Enquanto lia, tirava fotos das páginas e ia mandando pro meu namorado via WhatsApp. A resposta foi: “puta merda, igualzinha!“. Acho que Sarah tem o dom de resumir a geração dos 20-e-poucos-anos através de seus quadrinhos. Confesso que nunca tive muito contato com a obra da ilustradora, porém, já havia visto alguns desenhos circulando no Facebook.

Resenha: Ninguém Vira Adulto de Verdade - Sarah Andersen
FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

A fanpage Sarah’s Scribbles conta com mais de 1 milhão de likes, e o livro já tem tradução para 9 idiomas, com mais vindo por aí! Com certeza, pessoas do mundo todo ainda poderão se identificar com as histórias da autora.

Clique para comprar:

Aliás, em Ninguém Vira Adulto de Verdade, Sarah aborda de forma engraçada e simplista alguns dos dilemas que enfrentamos no dia a dia, além de situações constrangedoras que, infelizmente, a gente acaba passando!

O traço infantil de Sarah é fofo, e ajuda a reforçar o título do livro. O projeto gráfico também ficou show: livro capa dura, com ótimos espaçamentos entre as tirinhas, papel de qualidade… Enfim, uma boa aposta do selo Seguinte.

Resenha: Ninguém Vira Adulto de Verdade - Sarah Andersen
FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

A personagem é cativante, bem-humorada, irônica. É engraçada a forma que a autora personifica o coelho, fazendo dele “alguém” relevante para as tirinhas, muitas vezes, como se fosse a própria extensão da consciência da garota. Além disso, Ninguém Vira Adulto de Verdade aborda certas questões feministas e, principalmente, misoginia, de uma forma bem explicativa e “ilustrada”, deixando a obra  ainda mais relevante.

 LEIA TAMBÉM

* Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora

Resenha: Ninguém Vira Adulto de Verdade - Sarah AndersenTítulo original: Adulthood is a myth
Autora: Sarah Andersen
Editora: Seguinte
Número de páginas: 120
Ano: 2016
Gênero: HQ
NotaEstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela

Resenha

Resenha: Uma canção de ninar – Sarah Dessen

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Uma canção de ninar conta a história de Remy, uma adolescente que está aprendendo a lidar com a fase adulta. A garota, apesar da pouca idade, já é completamente desiludida com o amor, e não é para menos: diversos eventos traumáticos acontecem ao seu redor para afirmar a teoria de que o amor não existe. O pai, um músico famoso, largou a mãe de Remy quando ainda estava grávida e deixou para a filha apenas uma música, intitulada “Canção de ninar“.

a mãe é completamente perdida e vive pulando de relacionamento em relacionamento, se envolvendo e se ferindo. O irmão de Remy, que até então compartilhava a mesma visão que ela, acaba se apaixonando e “mudando de lado”, como a garota afirma.

Aliás, Remy tem as horas de seus dias completamente preenchidas pela organização do 6º casamento de sua mãe, os preparativos para a faculdade, e suas amigas, que sempre estão precisando umas das outras.

É com esse cenário caótico em sua vida que Remy conhece Dexter. Um garoto franzino e desengonçado que tem absoluta certeza que um dia os dois ficarão juntos. Uma observação importante: algumas pessoas podem achar fofo, mas eu achei apenas enfadonho esse garoto não entender que “não é não”. Diversas vezes Remy afirma que não quer nada com Dexter e, mesmo assim, ele é insistente e persegue a garota. Até quando os autores vão romantizar perseguidores? APENAS PAREM.

Para quem não entendeu, segue um desenho bem autoexplicativo:

Indústria romantizando stalkers
FOTO: Reprodução

 

Um ponto a favor do romance é que, apesar de tudo, ele aborda a adolescência e o início da fase adulta de Remy de uma forma bastante real: ela e as amigas enchem a cara escondidas dos pais, usam RG falso para entrar em baladas, ficam com caras escrotos e se arrependem, sofrem por amor, têm dúvidas sobre o futuro… Além de cada um delas ter características únicas.

E tudo se resumia a amor, ou a falta dele. Tudo o que arriscamos, sem saber muito bem, ao nos apaixonarmos ou nos afastarmos e nos fecharmos, protegendo nosso coração com toda força. (p. 261)

Ao meu ver, o maior plot twist da história fica por conta da mãe – que, no final, também tem os melhores conselhos. Já o final da personagem principal é um pouco previsível. Enfim, como Babi Dewet bem frisou na contracapa de Uma canção de ninar: “Este livro fala sobre o amor em diversas formas. O amor que faz bem, o amor que deixa marcas, o amor que machuca e aquele que  a gente tem por nós mesmos“.

Resenha: Uma canção de ninar - Sarah Dessen
FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

 * Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

LEIA TAMBÉM

Resenha: Uma canção de ninar - Sarah DessenTítulo original: This Lullaby
Autora: Sarah Dessen
Editora: Seguinte
Número de páginas: 352
Ano: 2016
Gênero: Literatura Juvenil
Nota: EstrelaEstrelaestrela vaziaestrela vaziaestrela vazia