Frases

As melhores citações e frases de Stephen King

Foto: Divulgação

Acredito que Stephen King dispense apresentações, não é mesmo? Um dos maiores escritores de terror, seus romances e contos já foram adaptados milhares de vezes para o cinema e TV. E claro que, como fãs, não poderíamos deixar de enaltecer esse autor! Separamos frases de Stephen King para você compartilhar e – por que não – ficar morrendo de vontade de ler as histórias dele! Veja:

Frases de Stephen King

“Monstros são reais e fantasmas são reais também. Vivem dentro de nós e, às vezes, vencem.”

“Talento é mais barato que sal. O que separa a pessoa talentosa da bem-sucedida é muito trabalho duro.”

“A dor era como um pontão velho, por vezes estava encoberto, e outras, visível, mas sempre presente.”

“A criança nunca sabe o que é um martelo, até confundir o dedo com um prego.”

“Livros são o entretenimento perfeito: sem comerciais, sem bateria, horas de diversão por cada centavo gasto. O que eu me pergunto é porque nem todo mundo carrega um livro consigo para aqueles inevitáveis momentos tristes da vida”.

“Temos de escrever de porta fechada e reescrever de porta aberta.”

“(…) as afirmações dos cínicos parecem sempre mais plausíveis do que as dos otimistas incorrigíveis.”

“Cada vida faz a sua própria imitação da imortalidade.”

“Você pode perguntar: e a realidade? Bem, no que me diz respeito, a realidade pode ir para o quinto dos infernos. Nunca dei muita bola para a realidade, pelo menos no meu trabalho escrito. Na maioria das vezes, ela está para a imaginação como as estacas estão para os vampiros.”

“Uma criança, cega de nascença, só sabe de sua cegueira se alguém lhe conta.”

Para comprar o livro Sobre a Escrita, é só clicar no link abaixo:

“Tempo, o grande ladrão da memória.”

“Estendemos o tempo como podemos, mas no fim o mundo leva tudo de volta.”

“O talento artístico é muito mais comum do que o talento de alimentar o talento artístico.”

“Estendemos o tempo como podemos, mas no fim o mundo leva tudo de volta.”

“Só os inimigos dizem a verdade. Amigos e amantes, apanhados na teia da obrigação, mentem sem parar.”

E aí, quais das frases de Stephen King você gostou mais? Conhece mais alguma? Deixe nos comentários!

LEIA TAMBÉM

Matérias

Adaptação de “A Torre Negra” ganha novo poster. Confira!

FOTO: Divulgação

Nova York de cabeça para baixo! Pelo menos, é o que promete o novo poster da adaptação de A Torre Negra, obra escrita pelo mestre Stephen King!

Adaptação de "A Torre Negra" ganha novo poster. Confira!
FOTO: Divulgação

Confira a sinopse do filme: “Na história, o Pistoleiro Roland (Idris Elba) – que busca a lendária Torre Negra há anos – encontra o menino Jake (Tom Taylor), cujos poderes especiais começam a se manifestar do nada, e descobre que o Homem de Preto (Walter Padick) está maquinando um esquema para destruir os mundos de ambos protagonistas“.

A Torre Negra estreia dia 28 de julho.

LEIA TAMBÉM

Fonte da sinopse: Omelete

Resenha

Resenha: Misery – Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Como sempre, não me arrependi de ter escolhido mais um livro do Stephen King para ler! Quando comprei Misery – Louca Obsessão eu já tinha assistido ao filme (com a incrível Kathy Bates) e lembrava bastante da história. Demorei, demorei, então resolvi no finalzinho das minhas férias devorar de vez, já que os livros do King, mesmo com muitas páginas, são fáceis para ler rapidinho.

Em Misery, o escritor Paul Sheldon sofre um acidente de carro e é encontrado na beira da estrada por Anne Wilkes, uma ex-enfermeira que se diz sua fã número 1. Sheldon é escritor de romances populares e conquistou a fama com a saga de livros da personagem Misery.

Anne sequestra Paul, o tranca em um quarto e obriga-o a reescrever o final de Misery. Enquanto ele não ressuscitar a personagem que ele “matou” no último livro da saga, ele ficará preso. Mas, é claro que durante esse cárcere de Paul, ele irá descobrir muitas coisas horrorosas sobre Wilkes e sofre inúmeros abusos físicos e psicológicos.

Gif Misery

Mesmo assistindo ao filme antes, claro que o livro iria conter detalhes interessantes e uma trama de tirar o fôlego. Quanto mais eu lia, mais eu queria continuar. Os absurdos que Anne faz com Paul e a tensão recorrente da tentativa de escapar daquela casa deixa a leitura ainda mais interessante.

Para comprar Misery, é só acessar o link abaixo:

 

Em uma parte específica da história, quando Paul descobre detalhes sobre o passado da louca Anne Wilkes, é o ponto alto do livro. Ao saber mais sobre a vida dessa “fã fiel” e psicopata, a vontade de chegar até o fim das 326 páginas é ainda maior. E para dormir depois? Nada fácil, meus amigos.

Não é um terror muito forte, nada que vá te dar um medo absurdo, mas algumas partes são um pouco chocantes. Tratando-se de psicopatas, é difícil não ficar um pouco desconfortável durante a leitura, mas, afinal, é o Stephen King, certo? Prepare-se!

Resenha: Misery - Louca Obsessão Stephen King
Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Gostei de reconhecer algumas referências do livro Sobre a Escrita (que já resenhei aqui no blog) e lembrar de muitas coisas que o autor comentou naquela obra sensacional. E, inclusive, em Misery, há referência até mesmo do Iluminado. Muito bom!

LEIA TAMBÉM

Resenha: Misery - Stephen KingTítulo original: Misery
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 326
Ano: 2014
Gênero: Terror/Suspense
NotaEstrelaEstrelaEstrelaEstrelaestrela vazia

Resenha

Resenha: O Iluminado – Stephen King

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Parece até meio sem noção fazer uma resenha de O Iluminado, né? Afinal, quem nunca viu o filme ou já leu esse clássico do Stephen King? E mesmo se a pessoa não tenha visto/lido, com certeza já ouviu falar ou sabe mais ou menos a história. Mas não importa! Quis fazer essa resenha porque esse foi meu primeiro contato verdadeiro com o autor (já tinha lido Os Olhos do Dragão e Sobre a Escrita, mas não é a mesma coisa) que todo mundo fala: o mestre do horror, do suspense, do thriller psicológico. E vou confessar que gostei muito! Mais do que eu esperava.

O Iluminado não é somente uma história de horror – o que mais me “pegou”, na verdade, foi a tensão. Meu Deus, que livro TENSO! Eu quase roí todas as minhas unhas e sempre me pegava com o cenho franzido enquanto lia. O livro é bem grande, com mais de 400 páginas, mas não dá vontade de parar de ler. Só que o mais legal disso tudo é que o livro demooooora pra desenrolar. Pode parecer uma característica negativa, mas é isso que o torna tão interessante. Por conta dessa demora, os personagens são muito bem construídos e complexos; nossas expectativas aumentam em relação ao que pode acontecer em breve; o clima de suspense se constrói no ritmo certo; e somos envolvidos com tanto ardor na história que, mesmo depois que o capítulo acaba, ela continua na nossa cabeça.

A história é sobre o ex-alcoólatra e agora desempregado Jack Torrance, que aceita um emprego como zelador do afastado Hotel Overlook para conseguir sustentar sua esposa Wendy e seu filho Danny. Danny é uma criança especial, sensível e que consegue perceber coisas que outras pessoas não conseguem. Wendy é uma mãe preocupada e uma esposa atormentada por conta do alcoolismo do marido, que já trouxe problemas demais para a família. E Jack é um personagem único, pois ao mesmo tempo em que luta contra seu temperamento difícil, ainda se esforça para manter a união familiar. O problema é quando eles chegam ao Hotel Overlook para passar o inverno: todos os funcionários vão embora e os três ficam sozinhos no lugar, onde começam a acontecer eventos bizarros e perturbadores.

Para comprar O Iluminado, é só clicar no link abaixo:

Engraçado é que mesmo os personagens sendo um tanto odiosos (às vezes dá vontade de socar a cara deles), a empatia surge mesmo assim. Adoro quando o autor consegue fazer a gente entender o lado de pessoas atormentadas, que têm seu lado ruim, mas que também se esforçam para conseguir lidar com seus problemas. O Iluminado é, acima de tudo, um drama familiar, em um contexto de suspense muito interessante.

Eu sempre ouvi falar que o Stephen King detestou a adaptação do Kubrick para o cinema, o que me deixou meio incrédula. O filme do Kubrick é tão bom, tão intenso! Por que ele não gostou? Simples: porque o filme é COMPLETAMENTE DIFERENTE do livro. Claro que o contexto geral é o mesmo, algumas coisas similares acontecem, mas falando sério: parece que eu vi duas histórias parecidas, mas não uma adaptação. Acho que é melhor falar que o Kubrick dirigiu uma reinterpretação do livro. Obviamente que a linguagem cinematográfica é diferente da linguagem do livro, mas ainda assim, foram trabalhos bem divergentes. Portanto, os dois são bons, com algumas partes em comum, mas que podem ser apreciados de forma separada.

Enfim, terminei a leitura desse livro e já virei fangirl do Stephen King. Ele não é o rei da alta literatura, mas como bom contador de histórias é impecável. Adorei e recomendo muito (se você não tiver medo, claro).

Resenha: O Iluminado - Stephen King

LEIA TAMBÉM

Resenha: O Iluminado - Stephen KingTítulo original: The Shining
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 463
Ano: 2012
Gênero: Suspense/Terror
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela