Novas Resenhas:


Resenha: A Redenção do Anjo Caído – Fábio Baptista

Se você curte livros com batalhas épicas e seres fantásticos, a sua próxima leitura precisa ser o surpreendente A Redenção do Anjo Caído, do autor brasileiro Fábio Baptista!

Confira a sinopse do livro:

Após refletir sobre a Batalha da Queda dos Anjos e outros eventos ocorridos em sua longa existência, Lúcifer conclui que é inútil continuar lutando contra a onipotência, onisciência e onipresença do Altíssimo. Decide então se render e, com esse intuito, vai ao Paraíso, onde Deus lhe faz uma proposta: para ter chances de ser perdoado, ele deverá vir a Terra, na condição de mortal, e, aqui, precisará conviver e fazer algo bom pela humanidade que tanto despreza. No mundo dos homens, o Anjo Caído buscará sua redenção. E conhecerá o verdadeiro inferno.

Resenha: A Redenção do Anjo Caído - Fábio Baptista

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Em A Redenção do Anjo Caído acompanhamos as diversas etapas da vida de Lúcifer: como Anjo de Luz, acompanhando o surgimento de outras criaturas celestiais, a criação do homem, até sua expulsão do Paraíso. Tudo isso de uma forma bem peculiar: o autor utiliza sua licença poética para dar vida aos personagens e modifica a história que muitos de nós conhecemos, mas sem tocar em suas bases (bem X mal, anjos X demônios).

A batalha dos anjos é absolutamente incrível, e me deixou de queixo caído!

Cansado do inferno, Lúcifer procura sua redenção na Terra: resolve viver em um corpo carnal, como mendigo, para tentar voltar ao Paraíso.

É nesse momento da narrativa que podemos perceber a aptidão de Fábio ao retratar esse ser de forma tão “humana”, tão profunda quanto pode-se imaginar. No mesmo cenário, o autor ainda liga diversos momentos contemporâneos com o desenrolar da história, o que faz com que o leitor se aproxime ainda mais da obra.

Na Terra, Lucen (como é conhecido agora), acaba sofrendo na pele diversas maldades que, segundo a história bíblica, ele mesmo teria criado. O final do personagem não é nada clichê ou óbvio. Muito pelo contrário! Mas não vou contar o que acontece para não estragar a surpresa de quem for ler…

A descrição dos cenários é extremamente detalhada: lugares infernais, celestiais e terrestres são retratados de forma  minuciosa! Apesar das quase 400 páginas, a leitura foi bem rápida e fluida. O autor trabalha as palavras com maestria, não deixando o leitor se perder em nenhum momento da narrativa.

O livro foi uma grata surpresa, principalmente para mim, que não costumo ler nada com esse tipo de temática desde “Fallen”. O livro é maduro, denso, feito para fazer pensar! E o melhor: o final dá margem para uma continuação… Será? Mal posso esperar!

Resenha: A Redenção do Anjo Caído - Fábio Baptista

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

Um ponto positivo sobre a edição é que A Redenção do Anjo Caído é muito bem revisado! Dá um orgulho e um alívio ler livros de autores brasileiros que se preocupam tanto com a edição de suas obras.

O livro está disponível para compra através da Amazon. Clique aqui e adquira o e-book de A Redenção do Anjo Caído! Você também pode baixar uma degustação em PDF, Mobi ou Epub.

E uma curiosidade: A Redenção do Anjo Caído foi divulgado entre os finalistas do Prêmio SESC de Literatura 2016.

Essa resenha é um publieditorial, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

LEIA TAMBÉM

Resenha: A Redenção do Anjo Caído - Fábio Baptista Título original: A Redenção do Anjo Caído
Autor: Fábio Baptista
Editora: FSB Books
Número de páginas: 311
Ano: 2016
Gênero: Fantasia
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Entrevista: Larissa Siriani, autora de Amor Plus Size

Conversamos com Larissa Siriani, autora de Amor Plus Size, sobre o lançamento do livro, gordofobia, dicas para quem está começando e muito mais! Confira:

Resenhas: Como descobriu que queria ser autora?

Larissa: Na verdade eu sempre gostei de escrever, e cultivava o sonho de ser escritora desde criança. Não foi exatamente uma descoberta porque o desejo sempre esteve ali. Quando decidi publicar meu primeiro livro, aos 17 anos, foi meio que como reavivar um sonho que estava escondido há algum tempo. Tive a oportunidade, e corri atrás dela.

Resenhas: Conte um pouco sobre o lançamento Amor Plus Size…

Larissa: Amor Plus Size conta a história de uma adolescente obesa que precisa lutar pra descobrir seu lugar no mundo. É sobre amor próprio e sobre as batalhas que a gente enfrenta – especialmente contra nós mesmos – pra conseguir conquistá-lo.

Entrevista: Larissa Siriani, autora de Amor Plus Size

FOTO: Divulgação

Resenhas: Como surgiu a ideia para escrever o livro com essa temática?

Larissa: Na prática, surgiu de uma noite de comilança com uma amiga, quando eu estava me sentindo particularmente mal por ter comido demais. Não sei de que maneira um pensamento levou ao outro, mas logo estava pensando em como era horrível isso de se sentir mal por comer, e pensei em todos os exemplos de que tive na vida que me ensinaram que isso é o certo, e como seria se eu tivesse alguém que me mostrasse o contrário – logo, a Maitê já estava formada na minha cabeça. Mas na verdade a ideia era uma coisa que vinha pedindo pra surgir há muito tempo. Quando comecei a acordar pros abusos que eu vinha infligindo no meu corpo, comecei a reparar no quanto a falta de representatividade era um problema. Pra alguém que, como eu, foi gorda a vida toda, faz falta ter um personagem ou pessoa que sirva como um exemplo com o qual você possa se identificar. Eu não tive isso, e queria que outras meninas tivessem.

Resenhas: Você acha importante debater a gordofobia? Já foi vítima ou conhece alguém que já sofreu com isso?

Larissa: Acho essencial! Assim como basicamente qualquer forma de preconceito, a gordofobia não é uma coisa que consiste única e exclusivamente em alguém te ofender de maneira direta por ser gorda. Tem a ver com uma série de pequenos comportamentos e ações que cercam a nossa vida. Eu sofri gordofobia quando recebi apelidos maldosos na escola, mas também sofri quando uma vendedora me dispensou em uma loja por “não ter o meu tamanho”, ou quando procurei por uma calça tamanho 50 numa loja de departamentos e não achei. Sofri quando meus médicos associaram todo e qualquer mal estar ao meu peso. Meu pai sofreu gordofobia quando teve que pagar a mais por um assento maior numa cabine de avião. Está tão fundo na nossa sociedade que já aprendemos a não ver, então é preciso sim falar sobre isso. Não se resolve um preconceito calando o oprimido. Se não falarmos hoje, nada se resolve amanhã.

Resenhas: Qual é o seu recado para quem já passou por isso?

Larissa: Lembre-se sempre que não é você que precisa se diminuir para entrar no padrão limitado dos outros – eles é que tem que se expandir pra te acolher.

Resenhas: Como é o seu contato com o público? A internet te ajudou de alguma forma?

Larissa: A internet é tudo pra mim. Comecei como escritora no extinto Orkut, publicando meus livros nas comunidades de lá, e isso me deu um gás danado pra continuar escrevendo. Publiquei de maneira independente pela primeira vez graças a um site, que só descobri por conta de uma amiga virtual que conheci num fórum sobre livros. Mais da metade do meu público me conheceu ou me conhece por causa das redes sociais. E hoje, tenho a alegria de poder ter contato direto com os leitores graças à internet. Não tem nada melhor que receber depoimentos das pessoas que leram e gostaram, ler as resenhas, discutir o livro com eles. É uma proximidade que não tem preço.

Resenhas: É seu primeiro lançamento pela Verus. Como está se sentindo?

Larissa: Agora estou mais tranquila, mas confesso que no começo eu fiquei bem apavorada, apesar de muito feliz. Ser publicada pelo Grupo Editorial Record é meu sonho desde menina, e sair pela Verus, que publica alguns dos melhores títulos da literatura nacional, foi uma honra imensa! Eu fiquei muito nervosa no começo, com medo de não entregar algo à altura, mas cada vez mais estou provando pra mim mesma que não tinha com o que me preocupar. Agora é continuar trabalhando!

Resenhas: Quem são seus autores favoritos?

Larissa: Tenho tantos!! De literatura juvenil, minhas principais referências são Meg Cabot e Paula Pimenta. Mas fora dessa esfera, também sou apaixonada por Neil Gaiman, Carlos Ruiz Zafón, Markus Zusak… acho que todo bom livro deixa sua marca na gente.

Resenhas: O que está lendo atualmente?

Larissa: O Orfanato da Srta Peregrine para Crianças Peculiares, do Ramson Riggs.

Resenhas: Algum livro ou autor para indicar?

Larissa: Poder Extra G, da Thati Machado – quem curtiu Amor Plus Size definitivamente vai curtir essa história.

Resenhas: Dicas para quem está começando?

Larissa: Estude o mercado para saber no que está se metendo, e não desista se levar alguns nãos. Escrever é metade insistência e metade aprender com os erros. Com paciência, se chega longe!

Quer comprar o livro da Larissa? É só clicar no link abaixo!

LEIA TAMBÉM


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Frases inspiradoras de Cecília Meireles

Aqui no blog nós adoramos frases de autores famosos! Já fizemos de Gabriel García Márquez, Chimamanda Ngozi Adichie, Clarice Lispector, Fernando Pessoa e muitos outros! E claro que não poderia faltar frases da maravilhosa jornalista, pintora, escritora e professora Cecília Meireles. 

Frases inspiradoras de Cecília Meireles

Reprodução

Confira frases de Cecília Meireles para inspirar sua vida:

“Recolhida, tímida, deslumbrada, me debruçava no mistério das palavras e do mundo. Queria saber, mas tinha imenso pudor de confessar minha ignorância.”

“(…) Em toda a vida, nunca me esforcei por ganhar nem me espantei por perder. A noção ou o sentimento da transitoriedade de tudo é o fundamento mesmo da minha personalidade.”

“Basta-me um pequeno gesto, feito de longe e de leve,
para que venhas comigoe eu para sempre te leve…”

“Aqui está minha vida.
Esta areia tão clara com desenhos de andar
dedicados ao vento.
Aqui está minha voz,
esta concha vazia, sombra de som
curtindo seu próprio lamento
Aqui está minha dor,
este coral quebrado,
sobrevivendo ao seu patético momento.
Aqui está minha herança,
este mar solitário
que de um lado era amor e, de outro, esquecimento.”

“Permita que eu que me conforme em ser sozinha.”

“Traze-me um pouco das sombras serenas que as nuvens transportam por cima do dia! Um pouco de sombra, apenas, – vê que nem te peço alegria.”

“Dai-me Senhor, a perseverança das ondas do mar, que fazem de cada recuo, um ponto de partida para um novo avançar.”

“É preciso amar as pessoas e usar as coisas e não, amar as coisas e usar as pessoas.”

“Não vou deixar a porta entre aberta.
Vou escancará-la ou fechá-la de vez.
Porque pelos vãos, brechas e fendas… passam semiventos, meias verdades e muita insensatez.”

“Há pessoas que nos falam e nem as escutamos;
Há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam.
Mas há pessoas que, simplesmente, aparecem em nossa vida…
E que marcam para sempre…”

Frases inspiradoras de Cecília Meireles

Reprodução/Tumblr

“Nunca esperei por momento algum na vida. Vou vivendo todos os momentos da melhor maneira que posso.”

“Não perguntavam por mim, mas deram por minha falta.”

“Aprendi com a primavera a me deixar cortar. E a voltar sempre inteira.”

“Um poeta é sempre irmão do vento e da água: deixa seu ritmo por onde passa.”

““Acima de nós, em redor de nós, as palavras voam e às vezes pousam.””

“Pago-te em sonho, pago-te em cantiga, pago-te em estrela, em amor de amiga.”

“Eu canto porque o instante existe e a minha vida está completa. Não sou alegre nem triste: sou poeta.”

“Adestrei-me com o vento e minha festa é a tempestade.”

“Os pássaros da madrugada não têm coragem de cantar, vendo o meu sonho interminável e a esperança do meu olhar.”

VEJA TAMBÉM


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Resenha: The Walking Dead – Vol. 1 – Kirkman, Moore e Rathburn

Primeiramente, eu preciso fazer um aviso: THE WALKING DEAD NÃO É SOBRE ZUMBIS.

Ok, agora podemos continuar.

Resenha: The Walking Dead - Edição #1 - Kirkman, Moore e Rathburn

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Não é à toa que TWD tem tantos fãs: o roteiro criado por Robert Kirkman é um dos melhores que já li! Ele realmente sabe como prender o leitor! Não cheguei a ler, mas vi um livro chamado The Walking Dead e a Filosofia a venda e, para mim, esse título define bastante sobre o que realmente é a série: escolhas pessoais. O TEMPO TODO.

Imagine você, recém-acordado de um coma, em um mundo repleto de criaturas estranhas. O que VOCÊ faria?

De uma coisa, tenho certeza: seria praticamente impossível manter seu senso de justiça 100% intacto. Rick Grimes – o protagonista – até tenta, mas muitas vezes ele vacila ou faz escolhas erradas. Mas não é exatamente isso o que nos faz tão humanos?

We Are The Walking Dead

Rick (todo cagado) em um dos meus momentos favoritos da HQ. Que discurso é esse, meu Deus? FOTO: Reprodução

Enquanto isso, sim, eu disse ENQUANTO ISSO, ele tenta sobreviver nesse ambiente hostil matando alguns “walkers” aqui e acolá.

Basicamente existe uma grande diferença entre a HQ e o seriado da AMC: os quadrinhos conseguem ser ainda mais criativos, sujos e viscerais. Isso mesmo: se você é fã de MUITA AÇÃO e, ao mesmo tempo, MUITO DRAMA, vai curtir demais a HQ de The Walking Dead.

LEIA TAMBÉM

Sem contar outra diferença beeem importante: um dos personagens mais amados do seriado – Daryl Dixon – simplesmente não existe na HQ.

Resenha: The Walking Dead - Edição #1 - Kirkman, Moore e Rathburn

FOTO: Melissa Marques / Resenhas à la Carte

Os quadrinhos conseguem ter um arco ainda mais abrangente que o da série de tevê e, como disse, ser ainda mais “fortes”. Infelizmente não poderei citar nenhuma cena mas, acredite: as histórias acabam ficando diferentes e, quem é fã, tem a oportunidade de (muitas vezes) ver duas versões para o mesmo fato. Ex: o “couro” homérico de Michonne (uma das minhas personagens favoritas dos quadrinhos)  no Governador, que na HQ é TENEBROSÍSSIMO! Hahaha!

Destaque também para o ótimo trabalho de Tony Moore e Cliff Rathburn, desenhistas, coloristas e arte-finalistas da história em quadrinhos! Apesar de, para mim, não ser um “traço” marcante ou superartístico, o trabalho deles é minucioso e extremamente detalhista.

Ilustração de Tony Moore

FOTO: Reprodução / Tumblr

Resumindo, vale muito conhecer o universo apocalíptico de série, ainda mais sombrio e profundo!

Resenha: The Walking Dead - Edição #1 - Kirkman, Moore e RathburnTítulo original: The Walking Dead
Autores: Robert Kirkman, Tony Moore e Cliff Rathburn
Editora: HQM Editora
Número de páginas: 32
Ano: 2012
Gênero: HQ
Nota: EstrelaEstrelaEstrelaEstrelaEstrela


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


Resenha: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço – Marcio Marinho Nogueira

A viagem de Mequinho ao fundo do poço é um livro infanto-juvenil que busca alertar os jovens e adolescentes sobre os perigos das drogas. O livro é completo de ilustrações e apresenta um texto bem didático, contando a história do pequeno Mequinho que, ao passar dos anos, começa a se envolver com drogas e não aceita ajuda de ninguém ao seu redor.

Na primeira metade do livro, passamos pela infância de Mequinho e depois conferimos sua passagem pela vida adulta, até começar a beber demais para se livrar dos seus problemas. Claro que os problemas só aumentam, assim como o número de vezes em que ele bebe por dia. Com um estilo lúdico, o autor Marcio Marinho Nogueira faz um bom trabalho em ensinar jovens e crianças sem cair para o moralismo excessivo.

Resenha: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço - Marcio Marinho Nogueira

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

No entanto, algo me incomodou um pouco ao final do livro. A linguagem lúdica de repente torna-se totalmente séria e parecida com uma obra escrita para médicos, educadores e profissionais da área. Ele começa com uma proposta infantil e termina como uma apostila. Se o livro é destinado a jovens, ele se perde nessa parte: porque ensinando com termos complicados e como se fosse uma aula de ciência, a criança já perde um pouco o interesse.

O autor Marcio Nogueira é escritor e médico, portanto sua visão como profissional da saúde é bem clara na obra. Talvez se o final do livro fosse um pouco menos sério e mais “palpável”, A Viagem de Mequinho poderia se tornar uma referência de livro um pouco mais divertido para crianças e pré-adolescentes.

Leia também

 * Esse produto foi um brinde, porém, as informações contidas nesse post expressam as ideias da autora.

Resenha: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço - Marcio Marinho NogueiraTítulo original: A Viagem de Mequinho ao Fundo do Poço
Autor: Marcio Marinho Nogueira
Editora: Criativa Leitura
Número de páginas: 120
Ano: 2016
Gênero: Infanto Juvenil
NotaEstrelaEstrelaEstrelaestrela vaziaestrela vazia


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Página 20 de 53« Primeira...10...1819202122...304050...Última »