Novas Resenhas:


Resenha: A Sombra do Vento – Carlos Luiz Zafón

É difícil classificar o gênero de A Sombra do Vento. O autor, Carlos Luiz Zafón, coloca de tudo um pouco nessa obra: mistério, suspense, humor, drama, romance e fantasia. Essa complexidade de gêneros e a profundidade do livro são pontos fundamentais que ajudam a torna-lo tão magnífico e arrebatador.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón

FOTO: Reprodução

São 399 páginas, mas, quando a leitura começa, é fácil ler essa obra em poucos dias. Quando passamos da centésima página, a história ganha traços tão complexos que fica difícil parar. A Sombra do Vento é um livro que você para e pensa, questiona e, depois que termina, continua refletindo sobre.

A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo”, analisa a especialista em livros Nathalia Cardoso.

O espanhol Zafón, também famoso por outras obras, lançou esse livro em 2001. Em meio ao mix de emoções que a história traça, o leitor passa por uma montanha-russa junto com os personagens. A sinopse é um pouco complexa por si só, o que dá um indicativo do quão trabalhado, minucioso e bem escrito esse livro é.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón

Barcelona é a cidade onde a história é contada FOTO: Divulgação

O livro é retratado no passado. A história começa em 1945, antes de Barcelona tornar-se referência esportiva, grande centro para turistas e um lugar que nós, brasileiros em geral, amamos. Nessa época, há mais de 70 anos, a cidade ainda estava se consolidando no cenário europeu após períodos difíceis.

O personagem central é Daniel Sempere, e a história começa com ele: quando o pai de Daniel o leva para um lugar esquecido em Barcelona. Então, ele conhece uma biblioteca com formato de labirinto que abriga livros esquecidos que poucas pessoas dão valor.

Logo no primeiro livro que Daniel lê, ele se empolga e termina o romance na mesma noite. A obra em questão é A Sombra do Vento, do autor Júlian Carax. Após ficar maravilhado com o livro, Daniel busca mais informações sobre Carax, na expectativa de encontrar mais livros da mesma qualidade.

Clique para adquirir o livro: 

Nessa busca por mais livros de Carax, Daniel descobre que, aos poucos, os livros somem sem deixar rastros. Comprometido a saber do paradeiro das outras obras, Daniel começa uma aventura que perdura por décadas.

Zafón tem um toque diferenciado nesse livro, pois ele consegue fazer uma narrativa que em nenhum momento é cansativa, e isso não é fácil se tratando de uma obra que passa através de muitas décadas de vida do personagem principal.

O livro é retratado, em sua maior parte, sob a narrativa pessoal de Daniel. No entanto, ele tem alguns flashbacks em que outros personagens aparecem e dão o tom momentâneo do protagonismo. Aliás, os coadjuvantes ajudam a enriquecer ainda mais a história — em especial Férmin Romero de Torres.

Férmin é o melhor amigo de Daniel na história, e ele é fundamental para o livro. É um personagem muito sensível, com uma trajetória de vida delicada e que, através da simplicidade, consegue tirar boas risadas e grandes frases.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón

FOTO: Reprodução

O livro é tão bem escrito que dá uma sensação de que os personagens tiveram uma história verdadeira antes daquele livro, e que continuarão a ter por muito tempo. Mérito de Zafón, que consegue orquestrar a narrativa de modo brilhante.

Outra qualidade da obra é que se trata de um livro que tem o livro como principal assunto. Em muitos momentos, Zafón encontra uma maneira de relembrar para o leitor o valor e a importância que a leitura exerce na sociedade. “Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias”, relata a análise de Cardoso.

Os fãs do livro, no entanto, terão que se contentar com a versão escrita. Zafón já afirmou que não vai realizar uma adaptação da obra para o cinema.

Uma leitura madura, complexa e muito elogiada pela crítica, A Sombra do Vento é uma história que corresponde as ótimas análises.

LEIA TAMBÉM

Título original: La Sombra Del Viento Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Luiz Zafón
Autor:
 Carlos Luiz Zafón
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 399
Ano: 2001
Gênero: Romance
Nota: 

* Esse post é um publieditorial.


2 Comentários
Escrito por:

Melissa Marques


[VÍDEO] 5 livros do Neil Gaiman para ler já!

Quem acompanha o blog há um tempinho já deve saber que nós somos SUPER fãs do autor Neil Gaiman. A obra dele é enorme, completíssima e merece MUITO ser lida pelo máximo de pessoas possíveis, haha! Separamos 5 livros especiais e imperdíveis do autor.

Veja abaixo e não esqueça de se inscrever no nosso canal:

Clique e compre os livros citados no vídeo (e ajude o blog a crescer!):

RESENHAS CITADAS NO VÍDEO

A Bela e a AdormecidaCoralineO Discurso Faça Boa Arte

LEIA TAMBÉM


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


20 frases de Harry Potter para matar a saudade da saga!

Em 2017 a história de Harry Potter e seu mundo de magia completa 20 anos de publicação. De lá para cá, muito coisa mudou: J. K. Rowling passou de autora iniciante e desconhecida para uma das mais respeitadas e relevantes da atualidade. A saga, que fez parte de uma geração, emociona ainda hoje crianças, jovens e adultos. Relembre alguns momentos marcantes, engraçados e tristes através de 20 frases:

1. “Afinal, para a mente bem estruturada, a morte é apenas a grande aventura seguinte”.

2. “Sempre chame as coisas pelo nome que têm. O medo de um nome aumenta o medo da coisa em si”.

3. “São as nossas escolhas, Harry, que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades”.

20 frases de Harry Potter para matar a saudade da saga!

FOTO: Reprodução

4. “O Sr. Aluado apresenta seus cumprimentos ao Prof. Snape e pede que ele não meta seu nariz anormalmente grande no que não é de sua conta”.

5. “Amortecer a dor por algum tempo apenas a tornará pior quando você finalmente a sentir”.

6. “É uma coisa estranha, mas quando se está com medo de alguma coisa, e se daria tudo para retardar o tempo, ele tem o mau hábito de correr”.

7. “Discordo de Dumbledore em muita coisa… Mas não se pode negar que ele tem classe…”.

20 frases de Harry Potter para matar a saudade da saga!

FOTO: Reprodução

8. “Só porque você tem a amplitude emocional de uma colher de chá, isto não significa que sejamos todos iguais”.

9. “Você também vai descobrir que Hogwarts sempre ajudará aqueles que a ela recorrerem”.

10. “TOM SERVOLEO RIDDLE

Em seguida, agitou a varinha uma vez e as letras do seu nome se arrumaram:

EIS LORDE VOLDEMORT”

Que tal adquirir todos os livros da saga de uma vez? Clique abaixo para comprar:

11. “Horcrux é a palavra usada para um objeto em que a pessoa ocultou parte da própria alma”.

12. “A grandeza inspira a inveja, a inveja engedra o despeito, o despeito produz a mentira”.

13. “Não tenha piedade dos mortos, Harry. Tenha piedade dos vivos e, acima de tudo, dos que vivem sem amor”.

14. “Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração”.

15. “Você acha que os mortos que amamos realmente nos deixam? Você acha que não nos lembramos deles ainda mais claramente em momentos de grandes dificuldades?”

20 frases de Harry Potter para matar a saudade da saga!

FOTO: Reprodução

16. “– Depois de todo esse tempo?
– Sempre – respondeu Snape”.

17. “– Alvo Severo […], nós lhe demos o nome de dois diretores de Hogwarts. Um deles era da Sonserina, e provavelmente foi o homem mais corajoso que já conheci”.

18. “A verdade é uma coisa bela e terrível, por isso deve ser tratada com grande cautela”.

19. “É possível encontrar a felicidade mesmo nas horas mais sombrias, se lembrar de acender a luz”.

20. “Não vale a pena mergulhar nos sonhos e esquecer de viver”.

 

20 frases de Harry Potter para matar a saudade da saga!

FOTO: Reprodução

LEIA TAMBÉM


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


21 frases e poemas de Carlos Drummond de Andrade

Quem nunca ouviu falar que no meio do caminho tinha uma pedra? Ou que João amava Teresa que amava Raimundo? Sem dúvidas, alguns poemas do mineiro Carlos Drummond de Andrade fazem parte da vida dos leitores brasileiros. Drummond foi escritor, cronista, poeta e considerado um dos autores mais influentes do século XX! Relembre sua obra através de 21 frases e poemas:

21 frases e poemas de Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade FOTO: Reprodução

1. O mundo é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.

2. A minha vontade é forte, porém minha disposição de obedecer-lhe é fraca.

3. NO MEIO DO CAMINHO

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

______

4. No adultério há pelo menos três pessoas que se enganam.

5. Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo.

6. Escritor: não somente uma certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de as ver de qualquer outra maneira.

7. Há certo gosto em pensar sozinho. É ato individual, como nascer e morrer.

8. Como as plantas, a amizade não deve ser muito nem pouco regada.

21 frases e poemas de Carlos Drummond de Andrade

FOTO: Reprodução / Tumblr

9. RECEITA DE ANO NOVO

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

______

10. Ninguém é igual a ninguém. Todo o ser humano é um estranho ímpar.

11. Há livros escritos para evitar espaços vazios na estante.

12. As obras-primas devem ter sido geradas por acaso; a produção voluntária não vai além da mediocridade.

13. Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons.

14. QUADRILHA

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o
convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto
Fernandes
que não tinha entrado na história.

______

15. A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.

21 frases e poemas de Carlos Drummond de Andrade

FOTO: Reprodução / Tumblr

16. JOSÉ

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, Você?
Você que é sem nome,
que zomba dos outros,
Você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio, – e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse,
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse….
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja do galope,
você marcha, José!
José, para onde?

______

17. Se eu gosto de poesia? Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho, papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo.

18. Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chega a apertar o coração: é o amor!

19. Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata…

20. São mitos de calendário
tanto o ontem como o agora,
e o teu aniversário
é um nascer a toda hora.

21 frases e poemas de Carlos Drummond de Andrade

FOTO: Reprodução / Tumblr

21. OS OMBROS SUPORTAM O MUNDO

Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.
Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.
Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.

______

LEIA TAMBÉM

Fonte: PensadorKDFRASES.


Comente!
Escrito por:

Melissa Marques


[VÍDEO] The Handmaid’s Tale – Série + livro

O livro The Handmaid’s Tale, da autora canadense Margaret Atwood, virou uma série de sucesso norte-americana exibida pelo serviço de streaming Hulu. Já foi confirmada uma segunda temporada e a série foi grande sucesso de público e crítica.

[VÍDEO] The Handmaid's Tale - Série + livro

A história passa-se num futuro muito próximo e tem como cenário uma república onde não existem mais jornais, revistas, livros nem filmes – tudo fora queimado. As universidades foram extintas. Também já não há advogados, porque ninguém tem direito a defesa. Os cidadãos considerados criminosos são fuzilados e pendurados mortos no muro, em praça pública, para servir de exemplo enquanto seus corpos apodrecem à vista de todos. Nesse Estado teocrático e totalitário, as mulheres são as vítimas preferenciais, anuladas por uma opressão sem precedentes. O nome dessa república é Gilead, mas já foi Estados Unidos da América. As mulheres de Gilead não têm direitos. Elas são divididas em categorias, cada qual com uma função muito específica no Estado – há as esposas, as marthas, as salvadoras etc.

À pobre Offred (June) coube a categoria de aia, o que significa pertencer ao governo e existir unicamente para procriar. Offred tem 33 anos. Antes, quando seu país ainda se chamava Estados Unidos, ela era casada e tinha uma filha. Mas o novo regime declarou adúlteros todos os segundos casamentos, assim como as uniões realizadas fora da religião oficial do Estado. Era o caso de Offred. Por isso, sua filha lhe foi tomada e doada para adoção, e ela foi tornada aia, sem nunca mais ter notícias de sua família. É uma realidade terrível, mas o ser humano é capaz de se adaptar a tudo.

Com esta história, Margaret Atwood leva o leitor a refletir sobre liberdade, direitos civis, poder, a fragilidade do mundo tal qual o conhecemos, o futuro e, principalmente, o presente.

O livro é sensacional e a série tão incrível quanto! Nós discutimos um pouco sobre essa distopia fantástica lá no nosso canal do YouTube. Confira!

Para comprar o livro, é só clicar no link abaixo:

LEIA TAMBÉM


Comente!
Escrito por:

Isabela Zamboni


Página 4 de 53« Primeira...23456...102030...Última »