10 dicas de J.R.R. Tolkien para escritores

Você é fã de J.R.R. Tolkien? Ama Senhor dos Anéis? Sonha em escrever um livro tão incrível quanto os que ele escrevia? Então confira essas dicas para escritores, encontradas em antigas cartas do autor:

J.R.R. Tolkien
FOTO: Reprodução

1. Vaidade é inútil

Buscar o que é popular ou o que está na moda nem sempre funciona, principalmente se você quer oferecer algo “a mais” para seus leitores. Como um escritor, quando você escreve sua própria história, você deve gostar daquilo que está escrevendo, já que escrever é uma das melhores formas de expressar seus pensamentos.

2. Continue escrevendo, mesmo passando por dificuldades

Tolkien demorou 7 anos para terminar O Hobbit. Nesse meio tempo, ele batalhou contra uma doença que adquiriu na guerra, além de ter obrigações e problemas pessoais para resolver. Isso só serve para mostrar que, não importa quão difícil é a estrada, apenas continue em frente.

3. Escute críticos em que você confia

Nem o mais aclamado escritor conseguiu criar um trabalho perfeito a primeira vez que termina uma obra. Se os críticos em que você confia dizem que é possível melhorar, você deve escutá-los. Continue aprendendo e melhorando.

+ 5 livros para escritores iniciantes

+ O trabalho de alguns autores antes de serem famosos

+ Resenha: Sobre a Escrita – Stephen King

4. Deixe seus interesses conduzirem sua escrita

Tolkien era muito fã de aprender línguas; Você pode combinar uma outra paixão e interesse à escrita. Se você gosta de temas como dança ou música, você sempre pode integrá-los em suas histórias.

5. Poesia pode levar a uma ótima prosa

Algo que você vai notar ao ler os livros de Tolkien é que algumas partes são em forma de poemas. Se ele não conseguia se expressar em prosa, ele escrevia em versos. Mesmo que seja um romance, poemas podem levar a grandes prosas.

J.R.R. Tolkien
FOTO: Reprodução

6. Surpresa boa

Muitas vezes as melhores coisas acontecem quando você menos espera. Isso traz empolgação para seus leitores e também faz com que o material pareça mais espontâneo.

7. Sonhos nos trazem inspirações

Todo escritor sonha em ter seu livro publicado. Seja literalmente um sonho, que entra na sua mente enquanto você dorme, ou o tipo de sonho que você deseja alcançar, você pode usar isso como inspiração para persistir e continuar escrevendo.

8. Pessoas reais servem para criar ótimos personagens

Tolkien observava bastante as pessoas no cotidiano, que mais tarde se tornaram parte de seus livros. Pessoas reais trazem emoções reais e fazem coisas incríveis.

9. Você pode ser o próximo autor best-seller

Tolkien se surpreendeu quando seu livro O Hobbit virou um hit logo de primeira. Ele considerou como uma surpresa boa. Como escritor, você será rejeitado algumas vezes. Mas você nunca sabe, pode ser que você se torne um autor best-seller!

10. Não ache seu trabalho banal

Muitas vezes, podemos achar difícil gostar do nosso próprio trabalho. Mas lembre-se que os leitores variam suas percepções e interpretações a respeito do seu livro: alguns podem achar seu texto dramático demais, enquanto outros podem amar sua escrita. Apenas coloque seu coração e mente em cada palavra que escrever.

Fonte: Essay Mama (Tradução livre / Resenhas à la Carte)

Comentários via Facebook

1 Comment

  1. Paulinho Dhi Andrade

    7 de janeiro de 2016 at 10:18

    Bom dia.
    Gostei muito das dicas. Identifico-me com algumas delas. Quero apresentar aqui umas linhas escritas por um amigo, Ruy de Oliveira, já falecido falando de minha pessoa:
    http://diariodosescritores.blogspot.com.br/2015/09/biografia-paulinho-dhi-andrade-autor-do_6.html#links

    Quanto a Dica de número 02, tenho algo a dizer, passei por diversas dificuldades, tanto financeiras quanto de saúde, mas persisti até sair do anonimato. Hoje meu livro “Eu Te Amo, Papai” pode ser encontrado em todos os países.
    Saibam as dificuldades que passei ao escrever o livro. Tristeza, doença sem cura, dificuldades financeiras, entorpecentes e etc…

    Junto com o meu relato há imagens do lançamento do livro em São Paulo no ano de 2014.
    http://diariodosescritores.blogspot.com.br/2015/10/imagens-do-1-lancamento-eu-te-amo.html

    Em 1999, passei uma dificuldade que posso dizer ter sido uma das maiores quando lancei meu primeiro livro de contos, “A tragédia dos mentirosos”. Para pagar a Editora, tive que juntar latinhas e vendê-las.

    http://diariodosescritores.blogspot.com.br/2015/09/saibam-as-dificuldades-que-passei.html

    Hoje meu livro, “Eu Te Amo, Papai” está sendo bem aceito. Tudo isso porque eu não desisti.

    Muito obrigado pela oportunidade de me apresentar.

    Atenciosamente:
    Paulinho Dhi Andrade

Comente!