Resenha: A Volta do Parafuso – Henry James

Para quem busca um thriller psicológico de altíssima qualidade literária, A Volta do Parafuso (ou A Outra Volta do Parafuso) é primordial. O livro é bem curto e a leitura é rapidinha. Porém, senti um pouco de dificuldade devido a linguagem rebuscada do autor: inúmeras descrições e ritmo lento, o que pode tornar a experiência cansativa. Porém, pretendo ler novamente no futuro para ver se minha percepção muda! 🙂

A Volta do Parafuso conta a história de uma jovem mulher que consegue seu primeiro emprego como preceptora de duas crianças aparentemente belas e inocentes. A menina Flora e o menino Miles são ingênuos, charmosos e encantadores, cativando a jovem logo de início. No entanto, aos poucos, começamos a ver um lado peculiar dessas crianças, que moram em uma imensa casa afastada, em um local chamado Bly. A propriedade é extensa, porém levemente assustadora e melancólica.

Durante sua estadia em Bly, a preceptora começa a perceber fenômenos estranhos: “figuras” distantes que lançam olhares de cima de torres escuras e janelas empoeiradas — supostamente fantasmas silenciosos que, a cada dia, se aproximam mais dela e das crianças.

Com uma sensação de horror crescente, a protagonista percebe que as criaturas desejam, na verdade, corromper as crianças, buscando adulterar seus corpos e mentes inocentes. Mas isso não é o pior: o horror se instala na mente da personagem quando ela supõe que Miles e Flora não sentem nem um pouco de medo das assombrações que rondam a casa. Pelo contrário: desejam a presença dos fantasmas.

A princípio, a escrita densa e cansativa de Henry James pode fazer com que o leitor desista do livro. Porém, ao terminar a pequena obra, são tantos elementos e questões a serem levantadas, que, no fim das contas, vale muito a pena. As teorias de Freud permeiam o livro todo, interferindo na nossa percepção da realidade.

O autor é brilhante principalmente porque não sabemos se o pequeno Miles é uma criança arrogante e mal comportada; se a preceptora tem distúrbios sexuais graves; se existe alguma força maligna na casa ou se os fantasmas realmente vagam pela propriedade. Quem sabe? São indícios e pistas diferentes que nos conduzem a diferentes encruzilhadas.

Para comprar o livro, é só clicar no link abaixo:

O narrador personagem é a peça-chave para a compreensão do livro. Nós, leitores, vemos e percebemos tudo pelos olhos da protagonista. Portanto, dificilmente saberemos qual é a realidade dos acontecimentos: tudo é alterado pelo contexto da personagem e seus valores morais. Seus incômodos e perturbações muitas vezes parecem sem fundamento, desprovidos de lógica. O desespero da protagonista traz uma sensação incômoda: nunca sabemos o que esperar ou o que realmente está acontecendo. É angustiante!

Existe um filme baseado no livro A Volta do Parafuso chamado Os Inocentes, de 1961. Apesar de transpor fielmente o clima arrepiante e sombrio do livro, o longa não abre espaço para a imaginação, criando situações literais que destroem o trunfo da obra literária. Ainda assim, é um filme interessante e perturbador, perfeito para quem gosta do gênero terror. No entanto, recomendo a leitura primeiro, para abrir espaço à imaginação. Confira o filme completo no youtube:

E você, já leu? Quais foram suas impressões sobre a obra? Conta pra gente!

 

LEIA TAMBÉM

 

Ajude o Resenhas! Clicando na imagem abaixo você contribui para o crescimento do blog! 🙂

Ajude o resenhas a crescer

Comentários via Facebook

Comentar