Resenha: O Homem Invisível – H.G. Wells

Uma das melhores leituras de ficção científica/horror que já tive foi O Homem Invisível, de H.G. Wells. Sempre quis conhecer as obras desse autor e esse livro me chamou a atenção por ser um clássico. Entre “A Máquina do Tempo”, “A Ilha do Dr. Moreau”, “Guerra dos Mundos” e “O Homem Invisível”, este último foi o que mais me atraiu.

O Homem Invisível - H.G. Wells

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

E posso afirmar que vale cada página! Do começo ao fim, o livro é munido de muita tensão. Até tive pesadelos com a história, de tanto que me impressionou. Pois é! A obra de 1897 suscita medos absurdos e múltiplos questionamentos. Você já desejou ser invisível? Já pensou nas consequências que isso traria para a sua vida?

Eu nunca tinha pensado muito a respeito disso, mas o livro mostrou um outro olhar sobre esse desejo inerente do ser humano. Todo mundo já quis passar despercebido em algumas situações, assim como sentiu vontade de espionar sem ser notado. Imagine quantas possibilidades poderiam surgir para alguém invisível: um mundo de coisas para fazer! No entanto, não é bem assim: H.G. Wells, de maneira única, constrói uma narrativa arrepiante e mostra como pode ser difícil a vida de uma pessoa invisível. Ainda mais se essa pessoa for um gênio sociopata.

Logo no começo já somos apresentados ao “Estranho”, um homem que chega à uma cidadezinha na Inglaterra e deseja se hospedar em uma pequena pousada. No entanto, ele tem uma aparência assustadora, é coberto de faixas pelo corpo e age de maneira bem esquisita. A dona da pousada aceita sua estadia, apesar de sua aparência anormal, mas desconfia das atitudes grosseiras do hóspede. E, a cada página, somos apresentados a um personagem violento, muito inteligente e com atitudes cada vez mais suspeitas. Somente na metade do livro sabemos o que realmente aconteceu com o Estranho, assim como seus pensamentos mais obscuros.

Achei interessante o autor optar por um narrador observador. Geralmente nesse tipo de história os narradores são personagens, mas, nesse caso, deixou a história bem mais empolgante. Outro detalhe interessante é que conhecemos bem pouco os personagens, criando também uma certa antipatia por quase todos, mesmo odiando e temendo o protagonista. Ou seja, não nos identificamos com ninguém e ficamos apenas observando as atitudes grotescas que os seres humanos são capazes de cometer.

O Homem Invisível - H.G. Wells

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à La Carte

As explicações científicas a respeito da invisibilidade também são incríveis. Sou leiga no ramo da ciência, mas é tudo tão bem detalhado que chega a ser crível alguém ser capaz de ser invisível. Aliás, tudo nesse livro é crível, mesmo se tratando de ficção. E é justamente isso que faz ele ser tão valioso.

Você já parou para pensar que, mesmo se fôssemos invisíveis, teriamos corpo físico? Lógico que algumas histórias de ficção já mostraram isso posteriormente (Harry Potter e a capa da invisibilidade, por exemplo), mas “O Homem Invisível” disserta a respeito de coisas que dificilmente levamos em consideração.

LEIA TAMBÉM

Descubra qual era o livro mais vendido no dia em que você nasceu

Resenha: Sentimento do Mundo – Carlos Drummond de Andrade

Resenha: A Mansão Hollow – Agatha Christie

Se fôssemos invisíveis, as roupas continuariam visíveis, ou seja, teríamos que viver nus. Outro ponto: e se você quisesse comer? Roubar é fora de questão, já que qualquer um poderia ver o alimento flutuando no vazio. E você faria barulhos, deixaria pegadas… trombaria com outras pessoas em lugares lotados. Se quisesse entrar em estabelecimentos fechados durante à noite, ou não conseguiria entrar por conta dos alarmes/trancas ou ficaria preso. Concluindo: muitas dificuldades envolvem o fato de ser invisível e o livro mostra em detalhes cada uma delas.

Então se você busca uma leitura enriquecedora e ao mesmo tempo um bom entretenimento, esse livro é recomendadíssimo.

Título original: The InResenha: O Homem Invisível - H.G.Wellsvisible Man
Autor: H.G. Wells
Editora: Alfaguara
Número de páginas: 207
Ano: 2010
Gênero: Terror/Clássico/Ficção Científica
Nota1 estrela1 estrela1 estrela1 estrela1 estrela


Escrito por:

Isabela Zamboni



Comentários via Facebook

1 Comentário

  • sono_mg@hotmail.com'
    Danilo 10 / 07 / 2015

    Esse já está na fila para eu ler! =)
    Parabéns pela resenha e pelo Blog.
    Sucesso!

    Responder


Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *