Resenha: A Máquina do Tempo – H.G. Wells

Histórias sobre viagem no tempo geralmente são legais e, se foram escritas por H.G. Wells, são melhores ainda! Depois de ler o incrível O Homem Invisível, gostei bastante do estilo do autor e peguei para ler o e-book de A Máquina do Tempo, romance publicado pela primeira vez em 1895.

Esse livro foi praticamente o precursor de histórias sobre viagens no tempo. A trama é sobre o “Viajante do Tempo”, personagem sem nome, um cientista que inventa a Máquina do Tempo e viaja até ao ano 802.700, onde encontra tudo muito diferente. O personagem – que vivia no final da época vitoriana – narra a quatro amigos durante um jantar como foi esse passeio no futuro e relata o que ele encontrou.

O Viajante vai parar em uma época em que as criaturas que lá viviam pareciam viver de forma harmoniosa, bem diferente dos homens da Londres do século XIX. Ao chegar nesse local belo, que cresceu sobre ruínas, o protagonista pensa poder estudar estes magníficos seres, desvendar-lhes os segredos e regressar ao seu tempo em seguida. Até descobrir que a sua invenção, o seu passaporte para a fuga, tinha sido roubada. É a partir daí que se iniciam os conflitos, já que o personagem precisará enfrentar alguns desafios para encontrar a máquina desaparecida.

Para comprar A Máquina do Tempo, é só clicar no link abaixo:

É bem interessante conhecer a perspectiva de um homem do século XIX a respeito do futuro. H.G. Wells imaginou uma distopia interessante, sem apelar para tecnologia em excesso ou para elementos futuristas. Na verdade, sua visão a respeito do futuro é um pouco mais trágica: não existem mais seres humanos, mas criaturas que descendem destes e vivem em um local aparentemente tranquilo, mas que esconde uma selvageria.

O livro mistura um pouco de política, ciência, filosofia e aventura: ou seja, é um prato cheio! Além de atiçar a curiosidade a respeito do que o Viajante do Tempo vai encontrar, também é possível refletir a respeito de várias questões: como seria uma sociedade no futuro? Será que um dia vamos encontrar a harmonia para viver em comunidade? Como estaria a Terra, em questões ambientais? Será que a inteligência do homem vai levá-lo até onde? A tecnologia vai tomar conta de tudo ou conduzirá a humanidade ao colapso?

O agente especial Dale Cooper recomenda esse livro! FOTO: Isabela Zamboni | Resenhas à la Carte

A parte da aventura também é bem divertida: em determinados momentos da história, o Viajante passa por perigos e situações de medo muito intensas. A partir disso, ele precisa encontrar soluções para se proteger e achar uma maneira de encontrar a Máquina do Tempo.

O livro é bem curtinho, tem apenas 99 páginas, então a leitura é rápida! Lembrando que esse livro é BEM DIFERENTE das adaptações para o cinema. O filme de 2002, por exemplo, dá uma bela mudada na história. Não existe uma narrativa de romance com nenhuma mulher no livro de H.G Wells, nem homens de cabelo branco que vivem embaixo da terra. Existe também a adaptação de 1961, que parece ser um pouco mais parecida, mas ainda assim traz mudanças significativas e, como sempre em Hollywood, recai no relacionamento amoroso entre o protagonista e uma mulher.

Porém, se você procura um ótimo livro sobre viagem no tempo, já encontrou! Boa leitura 🙂

LEIA TAMBÉM

Resenha: A Máquina do Tempo - H.G. WellsTítulo original: The Time Machine
Autor:  H. G. Wells
Editora: Livraria Francisco Alves
Número de páginas: 99
Ano: 1981
Gênero: Ficção científica/Literatura estrangeira
Nota: 

Comentários via Facebook

Comente!