Resenhas  |  16.02.2020

Resenha: Pequenos Incêndios por Toda Parte – Celeste Ng

Pequenos Incêndios por Toda Parte, de Celeste Ng, está no topo dos livros mais lidos de ficção do NY Times há mais de 40 semanas. Depois de tanto sucesso, claro que bateu a curiosidade e a vontade de começar a leitura. O livro faz parte do Clube do Livro Hello Sunshine, da atriz Reese Whiterspoon, que mensalmente divulga livros de autoras mulheres.

Resenha: Pequenos Incêndios por Toda Parte - Celeste Ng

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à la Carte

Pequenos Incêndios por Toda Parte é uma narrativa sobre família, maternidade e principalmente a ruptura de convenções e regras. Os paralelos entre as duas protagonistas — Mia Wallace, artista independente com espírito livre — e Elena Richardson, jornalista de família rica, mãe de quatro filhos e completamente entregue às regras e costumes de Shaker Heights, uma cidadezinha perto de Cleveland, Ohio — é muito interessante.

Mas, antes de começar, vamos à sinopse:

Um encontro entre duas famílias completamente diferentes vai afetar a vida de todos.

Em Shaker Heights tudo é planejado: da localização das escolas à cor usada na pintura das casas. E ninguém se identifica mais com esse espírito organizado do que Elena Richardson.

Mia Warren, uma artista solteira e enigmática, chega nessa bolha idílica com a filha adolescente e aluga uma casa que pertence aos Richardson. Em pouco tempo, as duas se tornam mais do que meras inquilinas: todos os quatro filhos da família Richardson se encantam com as novas moradoras de Shaker. Porém, Mia carrega um passado misterioso e um desprezo pelo status quo que ameaça desestruturar uma comunidade tão cuidadosamente ordenada.

Eleito nos Estados Unidos um dos melhores livros de 2017 por veículos como Entertainment Weekly, The Guardian e The Washington Post, Pequenos incêndios por toda parte explora o peso dos segredos, a natureza da arte e o perigo de acreditar que simplesmente seguir as regras vai evitar todos os desastres.

O que mais me impactou na leitura foi como Celeste Ng consegue passar mensagens relevantes, mas sem fugir do popular. A princípio, parece que o foco da história será nos adolescentes, mas não; os filhos de ElenaLexie, Trip, Moody e Izzy — vão impactar de maneira drástica a vida de Pearl, filha de Mia. Contudo, as relações entre as duas famílias são o que dão força à narrativa.

Mia e Pearl são inquilinas de Elena, ou Sra. Richardson. Ambas são nômades, de tempos em tempos mudam totalmente de vida, sem nunca criar laços por onde passam. Mãe e filha são o verdadeiro contraponto da família Richardson: pessoas que sempre viveram no mundo perfeito, na vida planejada e atenta às regras. Os Richardson são o retrato perfeito da cidade, a pequena Shaker Heights. Uma família que no exterior não apresenta falhas; mas na intimidade é repleta de fissuras.

“E ela se lembraria da expressão da mãe, aquela ânsia de aproximar o mundo da perfeição – como girar a cravelha de um violino e afinar a corda. Ela se lembraria da sua convicção de que era possível se você tentasse com afinco e de que nenhum trabalho podia ser difícil demais.”

A única personagem que foge da convencionalidade dos Richardson é a garota mais nova, Izzy. Logo no início do livro (não é spoiler, acontece na primeira página), Elena vê sua casa perfeita em chamas; foi Izzy quem incendiou o local e depois desapareceu. O fogo se alastrou aos poucos; foram pequenos incêndios por toda parte, como afirmou o bombeiro.

Mas por que Izzy queimaria a própria casa? Esse é o mistério que permeia toda a trama, mas que saberemos somente nas últimas páginas.

O passado de Mia também é desconhecido. Ela nunca conta suas origens, nem mesmo à filha. Por que elas vivem sempre na estrada, sempre se deslocando? Por qual motivo elas não conseguem se estabelecer em lugar nenhum?

Resenha: Pequenos Incêndios por Toda Parte - Celeste Ng

Foto: Isabela Zamboni/Resenhas à la Carte

Em paralelo à história das duas famílias, também acompanhamos a trama de Bebe Chow, uma imigrante chinesa que, sem condições de cuidar de sua filha, a deixa no corpo de bombeiros da cidade. Após passar por um período difícil e perceber o erro que cometeu, vai atrás da bebê; no entanto, ela não está mais lá. A pequena foi adotada por Linda e Mark McCullough, que tentavam desesperadamente ter filhos há mais de 10 anos. Os McCulloughs são amigos íntimos dos Richardsons e, portanto, Elena e o marido — Bill Richardson — se envolvem ativamente no caso.

Mia era colega de trabalho de Bebe; um dia, ouve na casa dos Richardson que os McCulloughs adotaram uma bebê oriental que encontraram no corpo de bombeiros de Shaker Heights. Ela então conta à amiga, que tentará com todas as forças — e com a ajuda da Lei — ter sua filha de volta.

“As regras existiam por um motivo: se você as seguisse, teria sucesso; se não as seguisse, talvez acabasse ateando fogo ao mundo.”

Entre dramas familiares e conexões cada vez mais complicadas entre os moradores da cidade, podemos perceber as cutucadas sutis de Celeste Ng, principalmente em questões polêmicas. Temas como aborto, abandono, amadurecimento, racismo, diferença de classes e até a política norte-americana da época são discutidos. Quebrar regras e viver com elas; errar e recomeçar; tentar construir o melhor para sua própria família, tentando eliminar as próprias falhas; as descobertas dolorosas da adolescência; e a própria definição de amor maternal. A autora trata com leveza de muitos subtextos, que nos fazem refletir sobre nossas próprias escolhas.

“Mas o problema das regras, refletiu ele, era que subentendiam um jeito errado e um jeito certo de fazer as coisas, quando, na verdade, na maior parte do tempo havia apenas jeitos, sendo que nenhum deles era exatamente certo ou errado e nada podia indicar com certeza de que lado da linha você estava.”

Gostei bastante da leitura e recomendo. A narrativa é simples, bem construída e os personagens são redondos, sem muitos excessos. Adorei como a autora conduziu as diferenças entre Elena e Mia, mas sem criar uma atmosfera de rivalidade. São duas mulheres completamente diferentes, mas que dividem algo em comum: o grande desafio de ser mãe e tentar viver de acordo com o que acham que é o jeito certo.

Para comprar o livro, é só clicar no link abaixo:

Em março estreia no serviço de streaming HULU a série adaptada do livro, com Reese Whisterspoon e Kerry Washington nos papéis principais. Assista ao trailer:

E você, já leu? O que achou? Conta pra gente nos comentários!

NOTA:

LEIA TAMBÉM

Converse com o Resenhas! Clique na imagem abaixo e assine a newsletter:

Newsletter Resenhas à la Carte - Vamos falar de livros?

Anterior
Próximo
Compartilhe
Comente Aqui
0 Comentários “Resenha: Pequenos Incêndios por Toda Parte – Celeste Ng”