Resenhas  |  11.04.2021

Resenha: A Sombra do Vento – Carlos Ruiz Zafón

O livro A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón, conta a história de Daniel Sempere, que, na noite de seu aniversário de 11 anos, percebe que não se lembra mais do rosto da mãe, falecida há alguns anos. Para tirá-lo da tristeza e do luto, o pai leva o garoto para conhecer um local incrível, uma espécie de biblioteca de livros abandonados, chamada Cemitério dos Livros Esquecidos. É ali que Daniel descobre o romance A Sombra do Vento, escrito pelo misterioso Julián Carax. O que começa como apenas uma história, se torna a obsessão da vida de Daniel, e ele fará de tudo para entender o que aconteceu na vida de seu querido autor.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón

FOTO: Isabela Zamboni | Resenhas à la Carte

Esse livro sempre foi muito elogiado, mas eu não imaginava o quanto eu me apaixonaria pela leitura. A narrativa de Zafón prende do começo ao fim e nos leva para uma jornada incrível, que envolve magia, mistério, loucura e, não menos importante, a paixão pela literatura. Nessa espécie de romance de formação, acompanhamos a vida de Daniel e de Julián, que estão sempre entrelaçadas, mesmo que distantes no tempo.

Veja a sinopse oficial:

Barcelona, 1945. Daniel Sempere acorda na noite de seu aniversário de onze anos e percebe que já não se lembra do rosto da falecida mãe. Para consolá-lo, o pai leva o menino pela primeira vez ao Cemitério dos Livros Esquecidos. É lá que Daniel descobre A sombra do vento, romance escrito por Julián Carax, que logo se torna seu autor favorito, sua obsessão. No entanto, quando começa a buscar outras obras do escritor, Daniel descobre que alguém anda destruindo sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que Carax já publicou, e que o que tem nas mãos pode muito bem ser o último volume sobrevivente. Junto com seu amigo Fermín, Daniel percorre a cidade, adentrando as ruelas e os segredos mais obscuros de Barcelona. Anos se passam e sua investigação inocente se transforma em uma trama de mistério, magia, loucura e assassinato. E o destino de seu autor favorito de repente parece intimamente conectado ao dele.

Clique para adquirir o livro: 

A princípio, o que começa como uma simples história de um garoto apaixonado por uma moça mais velha, torna-se uma jornada insistente e empolgante pela descoberta da vida do autor de A Sombra do Vento. Ao ser confrontado por um homem assustador em Barcelona, que revela estar à procura de todas as obras de Carax para queimá-las, Daniel busca entender o pano de fundo dessa história misteriosa que, por coincidência, vai de encontro à sua própria vida.

O protagonista não deseja ver a obra de seu autor favorito desaparecida e também não entende por que existe um homem, de aparência assustadora, chamado Laín Coubert, que faz ameaças a todos que entram em contato com a obra de Julián. Vale ressaltar que, no livro de Carax, Laín Coubert é o nome do Diabo.

Um dos elementos que mais gostei nesse livro foi a multiplicidade de vozes narrativas , o que me lembrou o recurso utilizado no Morro dos Ventos Uivantes. As histórias do passado de Carax são contadas cada vez por um personagem diferente. Há uma mescla de cartas, relatos e fragmentos, que, aos poucos, conseguimos conectar com o momento presente.

Quanto mais Daniel investigava a vida de Julián, mais era possível perceber a o paralelo entre a vida dos dois. E todas esses acontecimentos fazem parte de um grande e belo cenário: Barcelona. Durante a leitura, vemos sob a perspectiva de diversos personagens as inúmeras ruas da cidade, os bondes, as praias, as casinhas, o comércio, entre tantos outros elementos. Barcelona é uma das personagens da trama, envolvendo os personagens com seus cheiros, sons e possibilidades.

Outro ponto forte do livro é a crítica à guerra, à ascensão do fascismo e ao pensamento retrógrado-conservador. Em um contexto que passa pela guerra civil espanhola, chegando à 2ª Guerra Mundial, Zafón apresenta os horrores de uma época de violência, medo, terror e insegurança. A guerra interfere especialmente na vida das pessoas que rodeiam Daniel, que trazem relatos e memórias de uma época pavorosa.

Resenha: A Sombra do Vento - Carlos Ruiz Zafón

FOTO: Isabela Zamboni | Resenhas à la Carte

O momento mais emocionante da leitura foi o relato de Nuria Monfort, uma das personagens mais conectadas com a vida de Carax. A carta é bela, dolorosa, amarga e muito, mas muito sentimental. Conhecer a trajetória de Julián do começo ao final é incrível! Chorei ao final do livro, tanto de alívio quanto de melancolia. Sim, é daqueles livros que fazem chorar! Porém, apesar de inúmeras tragédias durante a narrativa, ao final temos um bom desfecho.

Só tenho uma única ressalva: o mistério sobre quem era Laín Coubert, o assustador perseguidor de Daniel, é revelado bem ao final do livro, porém, adivinhei lá pela metade. Então a catarse não foi muito grande, é um pouco previsível. Entretanto, não interferiu na excelente história de Zafón.

A Sombra do Vento foi uma experiência incrível, deveria ter lido antes! Existem outros livros da série O Cemitério dos Livros Esquecidos, mas as histórias podem ser lidas de modo independente, sem sequência. Espero em breve conseguir ler as outras obras!

E você, já leu? O que achou? Comente! 🙂

NOTA:

LEIA TAMBÉM

 

Ajude o resenhas a crescer

Anterior
Próximo
Compartilhe
Comente Aqui
4 Comentários “Resenha: A Sombra do Vento – Carlos Ruiz Zafón”
  1. Simone Batista de Oliveira      19 nov 2019 // 02H11

    Amo tanto! É tão mágico! Tive dificuldade de entender algumas partes, e voltava lá atrás… O Záfon é maravilhoso! Tenho a trilogia e amooo!

    • Melissa Marques      19 nov 2019 // 04H32

      Sim, Simone! Zafón é INCRÍVEL mesmo <3
      Obrigada por passar por aqui e deixar seu comentário!
      Beijos.

  2. Simone Batista de Oliveira      14 jul 2017 // 02H29

    Amo tanto! É tão mágico! Tive dificuldade de entender algumas partes, e voltava lá atrás… O Záfon é maravilhoso! Tenho a trilogia e amooo!

    • Melissa Marques      14 jul 2017 // 04H29

      Sim, Simone! Zafón é INCRÍVEL mesmo <3
      Obrigada por passar por aqui e deixar seu comentário!
      Beijos.